EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Descendentes de vítimas do regime nazi exigem compensações a empresas alemãs

Monika Brzozowska-Pasieka advogada dos familiares das vítimas
Monika Brzozowska-Pasieka advogada dos familiares das vítimas Direitos de autor Euronews Poland
Direitos de autor Euronews Poland
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Familiares de duas vítimas polacas pedem mais de 4 milhões de euros em indemnizações à Bayer e à Henschel

PUBLICIDADE

Descendentes de duas vítimas polacas do regime nazi estão a exigir indemnizações no valor de 4,3 milhões de euros às empresas alemãs Bayer e Henschel por, respetivamente, terem enviado para um campo de trabalhos forçados Tadeusz Sledzinski e assumido o controlo de uma empresa pertencente a Leopold Wellisz.

Monika Brzozowska-Pasieka, advogada:"Tadeusz Sledzinski ganhava 950 zlotis antes da guerra. Era um grande engenheiro, com 29 patentes. Leopold Wiellisz era um rico financeiro, empresário e filantropo. Estamos a avançar com os processos na direção da compensação, na direção de dados concretos. Isto é quanto ele ganharia se não fosse a guerra. Reconhecemos situações em que, se alguém beneficiou dos danos de outra pessoa, deve haver uma indemnização. É isso a Justiça."

A ação judicial privada decorre em paralelo com as exigências insistentes do governo polaco para obter reparações por parte da Alemanha.

Arkadiusz Mularczyk, secretário de Estado do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Polónia:"As nossas actividades são essencialmente informativas, mas também diplomáticas. Tentamos atrair o interesse das organizações internacionais e de parceiros internacionais sobre a questão da injustiça após a Segunda Guerra Mundial para diferentes países, do tratamento distinto dados pelos alemães a diferentes países, diferentes nações. Salientamos que isso viola os princípios elementares do direito internacional, do Estado de Direito e dos Direitos Humanos."

O coordenador da cooperação entre a Polónia e a diplomacia alemã disse à Euronews que não podia comentar o assunto durante as próximas semanas.

Mas a embaixada da Alemanha na Polónia ofereceu uma resposta por e-mail onde se lia:

"A posição do Governo alemão sobre pedidos de indemnização é bem conhecida e mantém-se inalterada. No entender do Governo Federal, a questão está encerrada. Tomámos nota da informação sobre os processos judiciais contra duas empresas. Trata-se de um processo em curso num tribunal polaco, sobre o qual não fazemos mais comentários."

Os peritos dizem que os crimes da Segunda Guerra Mundial continuam a ser um assunto delicado, mas não ameaçam as relações entre a Polónia e a Alemanha.

Lukasz Jasinski, Instituto Polaco de Assuntos Internacionais:"O legado da Segunda Guerra Mundial pesa muito nas relações entre a Polónia e a Alemanha e provavelmente irá pesar nas próximas décadas. Existe algum receio de precedentes. Em suma, se o lado alemão dissesse que pagaria reparações à Polónia, na totalidade ou parcialmente, então outros países iriam quase de certeza pôr-se na fila."

Magdalena Chodownik, euronews:"Atualmente, as opiniões dos polacos acerca da questão das reparações alemãs estão divididas. Alguns dizem que o assunto já devia estar encerrado. Outros defendem que só as indemnizações podem encerrar o assunto. Os alemães, por outro lado, parecem fingir que o assunto não existe."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Sábado é Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

Vaticano Beatifica família que escondeu judeus durante II Guerra Mundial

Polónia lembra heróis da Revolta de Varsóvia