EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Produtores de petróleo preocupados com a transição para as renováveis

Países exportadores de petróleo reuniram-se em Viena
Países exportadores de petróleo reuniram-se em Viena Direitos de autor Lisa Leutner/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Lisa Leutner/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Membros da OPEP reuniram-se na Áustria e debateram ideias para se manterem necessários num planeta que se pretende sustentável

PUBLICIDADE

Fazer tudo para reduzir as emissões poluentes, não para reduzir a produção de petróleo. Até porque todas as fontes de energia vão ser necessárias no futuro, ouviu-se durante a reunião de dois dias, na capital da Áustria, da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

A reunião teve por lema "Rumo a uma transição Energética Mais Sustentável e Inclusiva” e o debate focou-se no futuro do setor petrolífero num contexto de transição global para as energias fôsseis para as renováveis.

"Temos de fazer tudo o que pudermos para reduzir as emisões, não para reduzir a energia. Há um equívoco sobre a redução da produção e do investimento em petróleo e no gás. Não concordamos com essa mensagem. Acreditamos que todas as fontes de energia vão ser necessárias no futuro, incluindo as renováveis. Não existe uma só fonte de energia que possa fazer tudo sozinha", afirmou à Euronews o secretário-geral da OPEP, Haitham al Ghais.

O presidente do grupo "TDE Group Limited" disse ser preciso aceitar que "a transição leva tempo". "Por isso, conto com provavelmente que duas gerações industriais passem 25 anos a gerir essa transição. Vai ter de haver coexistência. A questão é saber como podemos ajudar-nos uns aos outros para acelerar a transição", lançou Gerhard Thonhauser.

A Arábia Saudita anunciou o prolongamento do corte na produção e a Rússia a redução, em agosto, das exportações. Tudo para tentarem estabilizar um mercado abalado pela invasão da Ucrânia e pela lenta retoma da China pós-Covid.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Arábia Saudita anuncia nova redução na produção de petróleo e OPEP prolonga cortes

Reunião de OPEP e aliados pode resultar em cortes na produção de petróleo

O desafio da energia eólica na Grécia