EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Estado de emergência nas prisões do Equador

Cerca de 2700 polícias militares tiveram de intervir na maior prisão do litoral do país
Cerca de 2700 polícias militares tiveram de intervir na maior prisão do litoral do país Direitos de autor AFP
Direitos de autor AFP
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Foi decretado o estado de emergência no sistema prisional por 60 dias depois de um massacre numa prisão.

PUBLICIDADE

O presidente do Equador, Guillermo Lasso, decretou o estado de emergência no sistema prisional do país por 60 dias, após o massacre na prisão de Guayaquil, que provocou a morte de pelo menos 31 presos e fez com que mais de cem guardas ficassem retidos.  Uma decisão tomada numa tentativa de deter a violência que ocorre em 13 das 35 prisões do país.

Desde o último sábado, a violência aumentou nas prisões do Equador, enquanto gangues rivais lutam pelo controlo com tiros e explosões. 

Na terça-feira, um contingente de cerca de 2.700 polícias militares entrou na maior e mais populosa prisão do litoral do país.

Desde 2020, gangues têm realizado uma série de massacres em várias prisões, nos quais mais de 450 presos foram mortos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Espiral de violência no Equador

Candidata socialista foi a mais votada na primeira volta da presidencial equatoriana

Acabou a violenta campanha eleitoral no Equador, domingo há eleições