EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Inflação obriga alemães a entregarem animais de estimação aos abrigos

Cuidador de cães em passeio com vários animais
Cuidador de cães em passeio com vários animais Direitos de autor JACQUELINE DORMER/AP
Direitos de autor JACQUELINE DORMER/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os abrigos de animais da Alemanha estão a ser inundados de cães e gatos que os donos entregam por falta de meios para os sustentarem.

PUBLICIDADE

Um conjunto de circunstâncias explica a ocupação vivida por muitos abrigos de animais na Alemanha. A incerteza económica e a inflação, que atingiu 6,8% ao ano, em junho, levaram muitos proprietários alemães a livrarem-se dos seus animais de estimação.

Romano Koellisch, chefe da área de cães no abrigo de animais de Cologne Dellbrueck explica: "Recebemos vários pedidos por hora de entrega de cães, por falta de meios financeiros, mas também por causa de situações humanas. Esta é uma situação que nos mantém muito, muito preocupados neste momento."

Muitas pessoas adquiriram animais de estimação durante a pandemia. Depois veio a guerra na Ucrânia e os problemas económicos, com a subida da inflação, e muitas famílias deixaram de poder comprar a ração, e pagar o veterinário dos seus animais de estimação.

Lea Schmitz, porta-voz da Deutscher Tierschutzbund e.V, diz: "Os abrigos acolhem cerca de 350 mil novos animais todos os anos. São principalmente cães e gatos, mas também pequenos animais e animais cada vez mais exóticos. Estamos simplesmente a viver uma situação em que muitas pessoas adquiriram animais de estimação, mas querem livrar-se deles novamente."

Tal como na Alemanha, muitas famílias europeias têm de pagar cada vez mais por bens essenciais - alimentos, eletricidade ou aquecimento - e optam por cortar custos, mesmo que isso signifique virar as costas aos seus animais de estimação.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Parlamento alemão debate violência no país e condena ataque contra Robert Fico

Como relançar o motor franco-alemão?

Borrell compara destruição em Gaza com danos causados nas cidades alemãs na Segunda Guerra Mundial