EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Supremo Tribunal de Israel analisa contestação à reforma judicial

Supremo de Israel analisa contestação à reforma judicial
Supremo de Israel analisa contestação à reforma judicial Direitos de autor Debbie Hill/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Debbie Hill/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Patricia Tavares
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Lei aprovada em julho pretende restringir poderes do próprio Tribunal.

PUBLICIDADE

Supremo Tribunal de Israel analisa contestação à reforma judicial que pretende restringir os seus próprios poderes. O Supremo Tribunal de Israel começou a analisar, nesta terça-feira, as petições contra uma controversa reforma judicial que restringe os seus próprios poderes.

Pela primeira vez, um painel de 15 juízes reuniu-se para discutir oito recursos à denominada cláusula de “razoabilidade”, aprovada pelo Parlamento israelita em julho e que aboliu a capacidade do Supremo Tribunal de vetar decisões políticas do executivo. A lei faz parte de um plano mais abranjente do governo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu para dar mais poder à coligação no governo.

Do lado de fora do tribunal, manifestantes a favor desta lei reúniram-se numa demonstração de apoio à estratégia de Netanyaho – que argumenta que a reforma judicial vai servir para reequilibrar os poderes político e judicial. Mas os protestos também tomaram conta de Israel nesta segunda-feira, antes da audiência no Supremo Tribunal; em frente à residência do ministro da Justiça israelita. Os críticos defende, que a reforma abre as portas à corrupção.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Julgamento de cinco jovens israelitas no Chipre por alegada violação coletiva

Protestos tomam conta de Israel antes da decisão sobre reforma judicial

Israelitas protestam em massa contra lei de reforma do sistema judicial