A saúde europeia está doente

Saúde europeia está doente
Saúde europeia está doente Direitos de autor EMMANUEL DUNAND/AFP
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A euronews falou com vários médicos europeus para conhecer os problemas que o setor atravessa e que são transversais a vários países

PUBLICIDADE

Manifestações, greves... os médicos em Portugal não escondem o descontentamento pela sua situação profissional mas a insatisfação da classe não conhece fronteiras. Os protestos e as reivindicações são partilhados por médicos de Espanha, França e Itália.

A saúde europeia está doente e a euronews falou com profissionais dos quatro países para conhecer os sintomas:

Federico di Renzo, Sindicato dos Médicos Autónomos de Itália

"Um dos principais problemas que temos em Itália é, sem dúvida, uma carga de trabalho excessiva: o número de pacientes a apoiar por um médico de família é frequentemente demasiado elevado, o que, obviamente, pode comprometer a qualidade dos cuidados prestados e a acessibilidade dos serviços de saúde. O número médio de pacientes é de 1070 para um médico de família."

Jorge Roque Cunha, Sindicato Independente dos Médicos de Portugal

"Neste momento, o nosso rendimento bruto no setor da saúde é um dos mais baixos de toda a União Europeia e mesmo de todos os países da OCDE. Um médico ganha 41 000 euros por ano, um especialista que trabalhe 40 horas."

Gabriel del Pozo Sosa, Secretário-Geral da Confederação Estatal de Sindicatos Médicos de Espanha

"Há colegas que estão de baixa por doença porque a situação já os ultrapassou, porque são fisicamente incapazes de lidar com a carga de trabalho. E, psicologicamente, também estão sobrecarregados."

Jean-Marcel Mourgues Vice-Presidente do Conselho Nacional da Ordem dos Médicos de França

"Há algo que não foi medido e que é muito complexo, que é provavelmente e infelizmente, um excesso de mortalidade evitável devido ao facto de o tratamento ser administrado demasiado tarde, por falta de rastreio, de mensagens de prevenção e de atrasos no tratamento após o diagnóstico."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Homem que recebeu rim de um porco teve alta hospitalar

Canábis pode ajudar a travar cancro da pele

É assim que a mudança da hora afeta a saúde, e não é para melhor. Conheça os sintomas e as soluções