Azerbaijão reivindica o controlo total de Nagorno-Karabakh

Nagorno-Karabakh
Nagorno-Karabakh Direitos de autor KAREN MINASYAN/AFP or licensors
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os representantes da região começaram esta quinta-feira conversações sobre a "reintegração".

PUBLICIDADE

O Azerbaijão reivindicou o controlo da região separatista de Nagorno-Karabakh na quarta-feira, depois de as forças arménias locais terem concordado em depor as armas na sequência do último surto de combates.

Os representantes da região começaram esta quinta-feira conversações sobre a "reintegração" no Azerbaijão e o governo de Baku tem divulgado imagens do fim dos confrontos.

O Provedor dos Direitos Humanos do Nagorno-Karabakh, Gegham Stepanyan, disse que pelo menos 200 pessoas, incluindo 10 civis, foram mortas e mais de 400 ficaram feridas nos combates. Gegham Stepanyan disse anteriormente que havia crianças entre os mortos e feridos.

Desde terça -feira, com o início da ofensiva militar, milhares de habitantes do Nagorno-Karabakh refugiram-se num acampamento controlado pelas forças de manutenção da paz russas. O primeiro-ministro da Arménia afirmou que as tropas do Kremlin são totalmente responsáveis pela segurança destas pessoas.

"Se as forças de manutenção da paz propuseram um acordo de paz, isso significa que aceitam completamente e sem quaisquer reservas a responsabilidade de garantir a segurança dos arménios do Nagorno-Karabakh e de lhes proporcionar as condições e os direitos para viverem nas suas terras e nas suas casas em segurança", disse  Nikol Pashinyan.

Entretanto, o Presidente do Azerbaijão elogiou as autoridades da Arménia. "__Ontem e hoje, a liderança da Arménia demonstrou, surpreendentemente, uma competência política inesperada. Apreciamos este facto e consideramo-lo um fator importante", destacou Ilham Aliyev.

Na noite desta quarta-feira, milhares de pessoas protestaram em Erevan. Acusaram o governo de não apoiar os arménios de Nagorno Karabakh e pediram a demissão do Primeiro-Ministro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Parlamento Europeu aprova resolução contra o Azerbaijão e pede sanções contra Baku

França vai fornecer armas à Arménia

Há ruas desertas em Nagorno-Karabakh