EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Êxodo de arménios do Nagorno-Karabakh preocupa ONU

Refugiados arménios num camião em direção à Arménia
Refugiados arménios num camião em direção à Arménia Direitos de autor ALAIN JOCARD/AFP or licensors
Direitos de autor ALAIN JOCARD/AFP or licensors
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Até ao momento, mais de 28.000 refugiados étnicos arménios fugiram do NAgorno-Karabakh para a Arménia

PUBLICIDADE

O êxodo de refugiados étnicos arménios do Nagorno-Karabakh continua a subir em flecha. Os últimos números apontam para mais de 28.000 pessoas que já terão fugido para a Arménia.

Um êxodo "maciço" na opinião da diplomacia francesa, que decorre "sob o olho cúmplice da Rússia", que conta desde 2020 com uma força de manutenção da paz na região separatista.

A ONU diz que a Arménia vai precisar de ajuda.

Shabia Matoo, porta-voz do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados:"As pessoas estão a sofrer os efeitos do trauma e da exaustão e necessitam de apoio psicossocial urgente. O Governo da República da Arménia está a liderar a resposta e indicou que irá contactar a comunidade internacional para solicitar apoio se e quando for necessário. Até à data, a pedido do Governo, o ACNUR prestou alguma assistência, no que chamamos artigos não-alimentares, incluindo camas desdobráveis, colchões e artigos de cama, e pré-posicionou outros artigos."

Entre o caos dos milhares de refugiados, a Cruz Vermelha arménia mobilizou-se para deslocar também os feridos na explosão de uma bomba de gasolina, que fez pelo menos 125 mortos, de acordo com as autoridades arménias ou 68 mortos, dizem as autoridades azeris. Outras 300 pessoas ficaram feridas no exterior de Stepanakert, capital da região separatista.

O transporte de sobreviventes também esteve a cargo de forças de manutenção de paz russas. Até ao momento, a principal tese acerca da origem da explosão é a de um acidente e não um ataque.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

República separatista do Nagorno-Karabakh é extinta a 1 de janeiro

Arménia diz que já recebeu mais de 47.000 refugiados do Nagorno-Karabakh

Arménia: pelo menos 4 mortos em inundações