EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

População foge e governo separatista anuncia dissolução

Nagorno-Karabakh
Nagorno-Karabakh Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Nesta quinta-feira de manhã, 70.000 pessoas - mais de metade da população de Nagorno-Karabakh - tinham fugido para a Arménia.

PUBLICIDADE

Com mais de metade da população de Nagorno-Karabakh a fugir para a Arménia, o governo do enclave separatista anunciou a dissolução. A república não reconhecida deixará de existir até ao final do ano, depois de uma operação militar relâmpago ter reafirmado o controlo do Azerbaijão

Muitos dos que fugiram para o outro lado da fronteira lamentam o que aconteceu e dizem não ter esperança no futuro.

"Saí de Stepanakert com uma ligeira esperança de que talvez alguma coisa mudasse e eu voltasse em breve, mas essas esperanças foram arruinadas depois de ler sobre a dissolução do nosso governo", disse Ani Abaghyan, um estudante de 21 anos, numa entrevista à The Associated Press.

O advogado Anush Shahramanyan, de 30 anos, acrescentou: "Nunca poderemos regressar às nossas casas sem um governo independente em Artaskh", referindo-se ao Nagorno-Karabakh pelo seu nome arménio.

O êxodo em massa da etnia arménia da região montanhosa no interior do Azerbaijão começou no domingo. Nesta quinta-feira de manhã, mais de 70.000 pessoas - mais de metade da população de Nagorno-Karabakh, que é de 120.000 habitantes - tinham fugido para a Arménia, e o afluxo continuou com uma intensidade ininterrupta, de acordo com as autoridades arménias.

Entretanto, o Azerbaijão divulgou novas imagens do antigo chefe do governo separatista que foi detido quando tentava atravessar a fronteira. Ruben Vardanyan foi acusado de financiar o terrorismo e de criar um exército ilegal. Se for acusado, poderá  ter de cumprir uma pena de 14 anos de prisão.

Entre as pessoas que estão a ser transferidas para a Arménia estão os feridos na explosão do depósito de combustível que matou 68 pessoas na segunda-feira. As forças de manutenção da paz russas dizem que os últimos sobreviventes já foram transportados de avião.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

ONU envia missão para o Nagorno-Karabakh

Meloni visita a Albânia com crise das migrações no topo da agenda

Em Monfalcone, Itália, um terço dos residentes é imigrante mas a autarquia é de extrema-direita