EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Papa inicía Sínodo com mensagem de abertura e unidade na Igreja Católica

Papa Francisco, líder da Igreja Católica
Papa Francisco, líder da Igreja Católica Direitos de autor Gregorio Borgia/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Gregorio Borgia/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Luis GuitaEuronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Papa Francisco apelou a uma Igreja mais humana, mais fraterna, menos ideológica, menos política, e escreveu carta onde critica os negacionistas do clima.

PUBLICIDADE

Papa Francisco inicíou, esta quarta-feira, o Sínodo dos Bispos sobre o futuro da Igreja Católica com uma mensagem de abertura e unidade.

No lançamento da assembleia, que decorrerá até ao final de outubro, Francisco fez uma ligação com a recente Jornada Mundial da Juventude em Lisboa e apelou a uma Igreja mais humana, mais fraterna e menos ideológica, menos política.

“Uma Igreja que zela pela humanidade com misericórdia. Uma Igreja unida e fraterna. Ou pelo menos uma que tenta ser unida e fraterna. Este olhar acolhedor de Jesus convida-nos a ser uma Igreja hospitaleira. Não com portas fechadas. Uma igreja com as portas abertas a todos, a todos, a todos," afirmou o líder daIgreja Católica, Papa Francisco.

Antes da abertura do Sínodo, o Papa Francisco aproveitou a oportunidade do Dia de São Francisco de Assis para publicar uma carta apelando a mais ações para travar as alterações climáticas.

No documento intitulado “Louvado seja Deus” (Laudate Deum), o líder católico critica os negacionistas do clima e aponta a COP28, no Dubai, no dia 30 de novembro, como o momento de tornar as políticas de transição energética “eficientes, obrigatórias e facilmente monitoráveis”.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Papa Francisco cancela presença na COP28 por razões de saúde

Téologa húngara nomeada para o Sínodo da Igreja Católica

Papa Francisco critica "falta de humanidade" com que a Europa trata os migrantes