EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Eleições Polónia: Líder do "Lei e Justiça", no poder, desiste de participar no debate televisivo

Jarosław Kaczyński, líder do partido "Lei e Justiça", Polónia
Jarosław Kaczyński, líder do partido "Lei e Justiça", Polónia Direitos de autor Czarek Sokolowski/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Czarek Sokolowski/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Nara Madeira com AFP, AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Jarosław Kaczyński, líder do partido no poder na Polónia, chama Donald Tusk de "mentiroso" e anula participação em debate televisivo, antes das eleições.

PUBLICIDADE

Na Polónia, o líder do partido no poder, o "Lei e Justiça", (Prawo i Sprawiedliwość, PiS), desistiu de participar no debate eleitoral, no canal público de televisão TVP, agendado para segunda-feira. O "Lei e Justiça" será representado pelo Primeiro-ministro, Mateusz Morawiecki.

Falando aos seus apoiantes, Jarosław Kaczyński, afirmou que não quer estar envolvido numa "conversa com um mentiroso", falando do seu principal rival, Donald Tusk, líder da "Plataforma Cívica" (Platforma Obywatelska, PO). 

Donald Tusk, que tinha mudado de ideias no mês passado, voltou a confirmar a sua presença acrescentando que esperava que o seu adversário "tivesse tido a coragem" de fazer o mesmo.

O duelo entre os dois partidos pode estar a revelar uma profunda fratura na sociedade. De acordo com as mais recentes sondagens, de finais de setembro, o partido Lei e Justiça continua a liderar, com 36%, mas não conseguirá uma maioria, e este resultado representa uma perda significativa já que no anterior escrutínio tinha vencido com 43,6%. A Plataforma Cívica deverá alcançar 30% dos votos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Demissões no Exército polaco: media locais falam em tentativa de envolver militares na campanha

Polacos chamados às urnas numas eleições Legislativas com 45% dos eleitores ainda indecisos

Donald Tusk reclama vitória na Polónia