EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Assembleia Geral da ONU marcada por palavras duras dos representantes israelita e palestiniano

Cenário de destruição em Gaza, após bombardeamentos de Israel
Cenário de destruição em Gaza, após bombardeamentos de Israel Direitos de autor Hatem Ali/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Hatem Ali/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Alta tensão na Assembleia Geral da ONU, reunida numa sessão especial para votar uma resolução apresentada pelos países árabes, que apela ao fim da guerra em Gaza.

PUBLICIDADE

Segundo Israel, o que está a acontecer na Faixa de Gaza é uma guerra contra o movimento terrorista Hamas; para o representante palestiniano nas Nações Unidas, trata-se de um massacre do povo palestiniano.

O embaixador palestiniano na ONU, Riyad Mansour, afirmou: "Sete mil palestinianos foram mortos por Israel nas últimas quase três semanas. Setenta por cento de todos os mortos são mulheres e crianças. Quase todos os mortos são civis. É esta a guerra que alguns de vocês defendem?"

O embaixador israelita atacou novamente a ONU, que descreveu como uma “organização quebrada e moralmente corrupta”. Gilad Erdan também rejeitou a resolução, que apela a um cessar-fogo em Gaza.

"Um cessar-fogo significa dar tempo ao Hamas para se rearmar para que eles possam nos massacrar novamente. Isto não é especulação. Eles farão isso. Todos vocês sabem disso. Qualquer pedido de cessar-fogo não é uma tentativa de paz. É uma tentativa de amarrar as mãos de Israel, impedindo-nos de eliminar uma enorme ameaça aos nossos cidadãos."

Um discurso amargo para as Nações Unidas. Para além do sofrimentos dos civis, os bombardeamentos israelitas mataram 39 dos seus trabalhadores em Gaza. Todos pertenciam à Agência das Nações Unidas para os Refugiados Palestinianos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Restaurante Kanaan em Berlim: um israelita e um palestiniano sócios há quase uma década

Assembleia Geral da ONU aprova "trégua" em Gaza; Israel e EUA votam contra

Israel anuncia incursão terrestre circunscrita em Gaza