Irão ameaça entrar no conflito entre Israel e o Hamas se não houver cessar-fogo

Hakan Fidan, ministro dos Negócios Estrangeiros de Israel
Hakan Fidan, ministro dos Negócios Estrangeiros de Israel Direitos de autor Vahid Salemi/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Irão ameaçou intervir no conflito de Israel com o Hamas e a Turquia acusa a UE de "não querer ouvir falar em cessar-fogo" em Gaza.

PUBLICIDADE

O Irão ameaçou intervir no conflito de Israel com Gaza se um cessar-fogo não for alcançado em breve. Isto foi afirmado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Hosein Amir Abdollahian, durante uma visita à Turquia, acrescentando que toda a região é a sua "casa".

O principal diplomata da Turquia, Hakan Fidan, acusou a UE de “não querer ouvir falar” de um cessar-fogo e partilhou com o seu homólogo iraniano a preocupação sobre uma possível propagação do conflito à Síria e ao resto da região.

Hakan Fidan, ministro das Relações Exteriores da Turquia afirmou: "Agora, temos preocupações sobre a propagação geográfica do conflito. Também discutimos isto com o nosso irmão iraniano e ele acabou de dizer que há fortes indícios de que outros elementos armados na região poderão intervir no conflito se as condições não mudarem. Diante de tal realidade, um cessar-fogo e a paz tornaram-se mais essenciais do que nunca."

O chefe da política externa da UE, Josep Borrell, disse estar "horrorizado" com o "elevado número de vítimas" após o ataque de Israel ao campo de refugiados de Jabalia e sublinhou que a proteção dos civis "não é apenas uma obrigação moral, mas também uma obrigação" legal ".

Entretanto, a Jordânia chamou de volta o seu embaixador em Israel.

Na celebração do Angelus, na Praça de São Pedro, o Papa Francisco  exortou a multidão a não “esquecer” os conflitos na Ucrânia, em Israel e nos Territórios Palestinianos.

“E continuemos a rezar pelas pessoas que sofrem por causa das guerras de hoje. Não esqueçamos a Ucrânia e o seu tormento, não esqueçamos a Palestina, não esqueçamos Israel. Não esqueçamos tantos outros lugares do mundo onde a guerra ainda continua", disse.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Irão apresenta "Fattah II", o primeiro míssil hipersónico do país

Incursão de Israel em Gaza aumenta dúvidas sobre futuro da região

Egito, Jordânia, Turquia: Quais são os últimos conselhos de viagem face à guerra entre Israel e o Hamas?