Hamas disponível para prolongar cessar-fogo com Israel

Omar Atshan, 17 anos, é abraçado pela sua mãe depois de ter sido libertado de uma prisão israelita na cidade de Ramallah, na Cisjordânia, no domingo
Omar Atshan, 17 anos, é abraçado pela sua mãe depois de ter sido libertado de uma prisão israelita na cidade de Ramallah, na Cisjordânia, no domingo Direitos de autor Nasser Nasser/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Hamas diz estar disponível para prolongar as tréguas com Israel e continuar a libertar reféns. Cessar-fogo de quatro dias em Gaza entra no último dia, esta segunda-feira.

PUBLICIDADE

A pouco mais de 24 horas do fim das tréguas, Israel e Hamas realizaram a terceira troca de prisioneiros, este domingo.

Na Cisjordânia, foi celebrada a libertação de 39 palestinianos.

Com o acordo do cessar-fogo de quatro dias a chegar ao fim, o Hamas diz estar disponível para estender a pausa nos combates e libertar mais reféns.

Ainda no domingo 14 israelitas, incluindo nove crianças, e três tailandeses foram colocados em liberdade pelo Hamas.

Entre os reféns agora livres encontra-se o primeiro cidadão também americano, uma menina de quatro anos, com dupla nacionalidade, que perdeu ambos os pais durante os ataques de 7 de outubro.

Os olhos viram-se agora para Israel, com aliados e familiares das pessoas ainda detidas a pressionar Telavive para prolongar a paz temporária em Gaza e permitir que mais reféns sejam libertados.

Benjamin Netanyahu admite um prolongamento do cessar-fogo, mas em conversa com o presidente dos Estados Unidos, o primeiro-ministro israelita disse também a Biden que. após as tréguas, a guerra vai "continuar a todo o vapor".

No domingo, após se ter tornado no primeiro líder de Israel a entrar em Gaza desde 2005, Netanyahu reiterou a posição do governo em relação à guerra em Gaza. 

"Regressaremos com todas as nossas forças para realizar os nossos objetivos: a eliminação do Hamas, para garantir que Gaza não voltará a ser o que era e, claro, a libertação de todos os nossos reféns", afirmou o primeiro-ministro israelita.

A paragem temporária do conflito está a permitir também a entrada de ajuda humanitária na Faixa de Gaza.Camiões carregados de bens essenciais e combustível são diariamente aguardados pelos palestinianos no enclave.

O cessar-fogo entre Israel e o Hamas entra esta segunda-feira no quarto e derradeiro dia. Telavive diz ter recebido do grupo islamita uma lista final de 11 reféns a serem libertados. No total, caso as tréguas fiquem por aqui, terão sido colocados em liberdade 50 reféns e 150 prisioneiros palestinianos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Palestinianos aproveitam cessar-fogo em Gaza para se abastecerem

Cessar-fogo entre Israel e Hamas acelera entrada de ajuda humanitária em Gaza

Israel e Hamas fazem cair por terra esperanças de Biden num cessar-fogo na próxima segunda-feira