EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Procuradores alemães acusam 27 pessoas de tentativa de golpe de Estado da extrema-direita

Agentes da polícia mascarados conduzem Heinrich XIII Prince Reuss, à direita, para um veículo da polícia durante uma rusga contra os chamados "cidadãos do Reich" em Frankfurt, Alemanha.
Agentes da polícia mascarados conduzem Heinrich XIII Prince Reuss, à direita, para um veículo da polícia durante uma rusga contra os chamados "cidadãos do Reich" em Frankfurt, Alemanha. Direitos de autor ALFONS LUNA/AFP OR LICENSORS
Direitos de autor ALFONS LUNA/AFP OR LICENSORS
De  Euronews com AP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Nove dos suspeitos são acusados de pertencer a uma organização terrorista com o objetivo de "acabar pela força com a ordem estatal existente na Alemanha".

PUBLICIDADE

O Ministério Público alemão declarou, na terça-feira, ter apresentado acusações de terrorismo contra 27 pessoas, incluindo um autoproclamado príncipe e um antigo legislador de extrema-direita. As acusações estão relacionadas com uma alegada conspiração para derrubar o governo, que veio a lume com uma série de detenções há um ano.

A acusação contra 10 suspeitos, incluindo as figuras mais proeminentes, foi apresentada a 11 de dezembro no Tribunal de Estado de Frankfurt. De acordo com o sistema jurídico alemão, o tribunal deve agora decidir se e quando o caso irá a julgamento.

Nove dos suspeitos, todos de nacionalidade alemã, são acusados de pertencerem a uma organização terrorista fundada em julho de 2021 com o objetivo de "acabar pela força com a ordem estatal existente na Alemanha", afirmaram os procuradores federais num comunicado.

Os promotores disseram que os acusados acreditam em um "conglomerado de mitos de conspiração", incluindo a ideologia Reich Citizens e QAnon.

Os adeptos do movimento Reich Citizens rejeitam a constituição alemã do pós-guerra e apelam à queda do governo, enquanto o QAnon é uma teoria da conspiração global com raízes nos Estados Unidos.

Os nove suspeitos são também acusados de "preparação de um empreendimento de alta traição".

Entre eles estão Heinrich XIII, conhecido como príncipe Reuss, que o grupo alegadamente planeava instalar como novo líder provisório da Alemanha; Birgit Malsack-Winkemann, uma juíza e antiga legisladora do partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha; e um paraquedista reformado.

O grupo planeava invadir o edifício do Parlamento em Berlim e prender deputados, segundo os procuradores. Pretendia negociar uma ordem pós-golpe principalmente com a Rússia, como um dos aliados vencedores da Segunda Guerra Mundial.

Segundo os procuradores, Reuss tentou contactar funcionários russos em 2022 para obter o apoio da Rússia ao plano, mas não está claro como a Rússia reagiu.

Uma cidadã russa identificada apenas como Vitalia B. é acusada de apoiar a organização terrorista, em parte por alegadamente estabelecer um contacto com o consulado russo em Leipzig e acompanhar Reuss até lá.

Segundo o Ministério Público, outros 17 alegados membros do grupo foram acusados em processos separados nos tribunais de Estugarda e Munique.

As autoridades têm alertado repetidamente para o facto de os grupos de extrema-direita representarem a maior ameaça à segurança interna da Alemanha. Esta ameaça foi evidenciada pelo assassinato de um político regional e por uma tentativa de ataque a uma sinagoga em 2019. Um ano mais tarde, membros da extrema-direita que participavam num protesto contra as restrições pandémicas do país tentaram e não conseguiram invadir o edifício do Parlamento em Berlim.

Num caso separado, cinco pessoas foram a julgamento em maio por causa de uma alegada conspiração de um grupo que se intitula Patriotas Unidos - que os procuradores dizem também estar ligado à cena dos Cidadãos do Reich - para lançar um golpe de extrema-direita e raptar o ministro da Saúde da Alemanha.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Angela Merkel faz 70 anos: qual a popularidade da antiga chanceler?

NATO lança centro de comando da Ucrânia na Alemanha

Alemanha "preocupada" com resultados das eleições francesas apesar da derrota da extrema-direita