EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Novo governo polaco demite dirigentes dos meios de comunicação social públicos

Cerco da polícia polaca no edifício da TVP INFO
Cerco da polícia polaca no edifício da TVP INFO Direitos de autor Czarek Sokolowski/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Czarek Sokolowski/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Donald Tusk foi nomeado primeiro-ministro da Polónia na semana passada e já está a fazer reformas: demitiu todos os dirigentes dos órgãos de comunicação social públicos, acusados de instrumentalização da informação e propaganda.

PUBLICIDADE

O novo governo polaco, liderado por Donald Tusk, já começou a fazer reformas nos meios de comunicação social públicos, terminando com o controlo estatal que o partido conservador Lei e Justiça exerceu durante oito anos.

O parlamento da Polónia aprovou na terça-feira uma resolução, proposta pelo governo de Tusk, instando ao restabelecimento da “ordem legal, objetividade e justiça” nos meios de comunicação estatais. Durante a votação, estiveram presentes 344 deputados, dos quais 244 votaram a favor da resolução e 84 contra; 16 deputados abstiveram-se. 

O ministro da cultura polaco, Bartomiei Seinkiewicz, nomeou novos diretores e conselhos de supervisão, iniciando assim um processo de renovação na liderança dos órgãos de comunicação do país.

Outra das mudanças que o governo implementou foi o encerramento do canal de notícias TVP INFO, que até agora era usado eminentemente para propaganda política.

O partido Lei e Justiça, que se encontra agora na oposição, reagiu com protestos e ocupou os edifícios dos meios de comunicação. “As instruções do partido são que todos os deputados do Lei e Justiça venham para aqui, para o edifício da TVP”, explicou Marek Pek, senador do Lei e Justiça. “Temos de mostrar, com a nossa presença, que somos profundamente contra estas ações ilegais e brutais”, concluiu Pek.

Apesar dos protestos, as autoridades polacas não registaram qualquer desacato.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tusk nomeado primeiro-ministro da Polónia após governo de Morawiecki ser rejeitado

Donald Tusk promete trazer a Polónia "de volta" à UE

Manifestantes polacos exigem o direito ao aborto: "Precisamos do que o governo nos prometeu"