EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Violência e boicote da oposição marcam eleições no Bangladesh

Taxa de participação nestas eleições foi muito fraca
Taxa de participação nestas eleições foi muito fraca Direitos de autor Mahmud Hossain Opu/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Mahmud Hossain Opu/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
De  Ricardo Figueira com AP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O BNP, principal partido da oposição, boicotou estas eleições legislativas, marcadas pela violência, que devem dar um novo mandato a Sheikh Hasina.

PUBLICIDADE

As urnas fecharam no Bangladesh, depois das eleições deste domingo que devem dar à primeira-ministra Sheikh Hasina e ao seu partido Liga Awami um quarto mandato consecutivo. 

Estas eleições foram marcadas por uma série de episódios violentos, com 18 incêndios criminais um pouco por todo o país, um dos quais fez quatro mortos. O partido no governo acusa o principal partido da oposição, o Partido Nacionalista do Bangladesh (BNP), de estar por detrás destes episódios. 

O BNP boicotou estas eleições, que considera fraudulentas, o que ajuda a explicar a fraca taxa de participação (pouco mais de 27% a uma hora do fecho das urnas). O partido apelou também a uma greve de 48 horas.

Os críticos e os grupos de defesa dos direitos humanos afirmam que a votação segue um padrão preocupante, uma vez que as duas últimas eleições realizadas durante os mandatos de Hasina foram manchadas por alegações de fraude eleitoral - que as autoridades negaram - e por outro boicote da oposição.

O governo rejeitou uma exigência do BNP, no sentido de que um governo provisório neutro administrasse a votação deste domingo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Macron quer "abrir nova página" no Bangladesh

Ciclone Mocha semeou destruição no Bangladesh e Myanmar

Oposição do Bangladesh nas ruas