EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Mísseis e drones abatidos em ataque dos Houthis no Mar Vermelho

Houthis negam estar a lançar ataques a embarcações internacionais que não tenham ligações a Israel
Houthis negam estar a lançar ataques a embarcações internacionais que não tenham ligações a Israel Direitos de autor Mass Communications Spc. 2nd Class Moises Sandoval/AP
Direitos de autor Mass Communications Spc. 2nd Class Moises Sandoval/AP
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As forças norte-americanas e britânicas abateram 18 drones e três mísseis disparados pelos rebeldes Houthis num ataque no Mar Vermelho. Não há registo de feridos ou danos.

PUBLICIDADE

As forças norte-americanas e britânicas abateram, na terça-feira à noite, 18 drones e três mísseis disparados pelos rebeldes Houthis num dos maiores ataques no Mar Vermelho.

Os rebeldes do Iémen têm atacado navios de transporte de mercadorias que se aproximam do Canal de Suez há meses em retaliação à ofensiva de Israel em Gaza. 

Segundo os Estados Unidos, não houve "danos ou feridos" em resultado dos ataques de terça-feira.

"Os Houthis receberam apoio e armamento do Irão durante esta guerra. E, recentemente, começaram a lançar ataques contra navios no Mar Vermelho. Os rebeldes dizem que isso é para apoiar os palestinianos presos na Faixa de Gaza devido à guerra de Israel contra o Hamas. Contudo, muitos dos navios que estão a atacar não têm ligações claras com Israel", explica Jon Gambrell, diretor de notícias da AP para o Golfo Pérsico e o Irão.

Os houthis negam estar a lançar ataques encomendados pelo Irão. Em entrevista à Euronews, um porta-voz Houthi garantiu que os rebeldes tinham apenas como alvo os navios ligados a Israel. 

Este último ataque dos Houthis ocorreu numa altura em que o Conselho de Segurança da ONU se prepara para votar um projeto de resolução condenando as ações dos rebeldes iemenitas e exigindo a suspensão imediata dos ataques aos navios. 

A resolução também exige a libertação imediata do cargueiro Galaxy Leader, que foi sequestrado em novembro juntamente com a tripulação.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Navio norte-americano atingido por míssil disparado do Iémen

Mar Vermelho: tudo o que precisa de saber sobre a crise que está a pôr em perigo o comércio mundial

Israel ataca porto no Iémen controlado pelos Houthis