Israel ataca processo movido pela África do Sul como "hipocrisia"

Os esforços de guerra de Israel concentram-se agora no centro e sul da Faixa de Gaza
Os esforços de guerra de Israel concentram-se agora no centro e sul da Faixa de Gaza Direitos de autor Ohad Zwigenberg/Copyright 2024 The AP All rights reserved
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Enquanto se defende do processo movido pela África do Sul no Tribunal Internacional de Justiça por genocídio, Israel mostra imagens de novos túneis descobertos em Khan Younis, que terão servido para esconder reféns.

PUBLICIDADE

Israel prometeu defender-se da ação movida pela África do Sul no Tribunal Internacional de Justiça. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu denunciou este processo como "uma hipocrisia de bradar aos céus". Isto acontece numa altura em que há cada vez mais pressão para que o país pare os bombardeamentos na Faixa de Gaza

Qatar tenta acordo para entrega de ajuda

O Qatar tem mantido "conversações de alto nível" com o Hamas e com Israel para facilitar a entrega de material médico na Faixa de Gaza, tanto para os habitantes do território como para os reféns israelitas que continuam detidos no local, segundo uma informação do New York Times. Outros meios de comunicação social afirmam que o acordo com Israel para abrir mais janelas para a entrega de medicamentos em Gaza está numa "fase avançada".

No entanto, a Organização Mundial de Saúde insiste que qualquer acordo deste tipo é inútil até que Israel pare os ataques aéreos e bombardeamentos: "Os fortes bombardeamentos, as restrições à circulação e a interrupção das comunicações estão a tornar quase impossível a entrega regular e segura de material médico", disse a organização num comunicado. A maioria dos hospitais tem falta de pessoal e o acesso dos doentes às instalações de saúde é dificultado por condições perigosas.

O Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas, atualizou o número de mortos para 23.469 desde o início do conflito.

Encontrados vestígios de reféns em túneis

É em Khan Younis, no sul do território, que estão agora concentrados os esforços do exército israelita. As Forças de Defesa de Israel mostraram novas imagens do que se dizem ser um "sistema alargado de túneis" sob a cidade e dizem ter encontrado vestígios da presença de reféns num destes túneis.

Os familiares dos reféns israelitas reuniram-se na quinta-feira em Nirim, junto à fronteira de Israel com a Faixa de Gaza, e, usando altifalantes, dirigiram-se ao Hamas e outros habitantes de Gaza com um pedido de libertação dos reféns.

Situação na fronteira com o Líbano

O enviado presidencial dos EUA, Amos Hochstein, mantém conversações no Líbano, a fim de encontrar uma forma diplomática de desanuviar a situação na fronteira israelo-libanesa. Israel e o Hezbollah têm trocado tiros, diariamente, entre os dois lados da fronteira. Na quinta-feira, o Hezbollah afirmou ter lançado dezenas de rockets, alguns dos quais causaram danos na cidade de Kiryat Shmona, enquanto os ataques da artilharia israelita causaram a morte de civis e de membros do Hezbollah.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

África do Sul levanta ação por genocídio contra Israel. O que esperar do Tribunal de Haia?

Blinken debate fim do conflito em Gaza com autoridades israelitas

Guterres diz que rejeição israelita da solução dos dois Estados é "inaceitável"