Três organizações confirmam que 2023 foi o ano mais quente de sempre

A questão é saber se 2023 será o pico ou apenas mais um passo na subida
A questão é saber se 2023 será o pico ou apenas mais um passo na subida Direitos de autor AP
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A Organização Meteorológica Mundial e duas agências norte-americanas, a NASA e a NOAA, confirmam os dados divulgados há poucos dias pelo serviço europeu de satélites Copernicus.

PUBLICIDADE

Três grandes organizações: A Organização Meteorológica Mundial da ONU e as agências norte-americanas NASA e NOAA (National Oceanic and Atmospheric Administration) confirmaram na sexta-feira que 2023 foi o ano mais quente de que há registo, ou seja, pelo menosdesde 1850. Esta confirmação surge depois de a agência europeia Copernicus ter emitido a mesma declaração. Mais do que isso, o ano de 2023 bateu o recorde com uma margem grande e visível. De acordo com a OMM, o ano foi 1,45°C mais quente do que a média pré-industrial (1850-1900).

Com todos os grandes organismos a confirmarem que o aquecimento global é uma realidade, a questão é saber se 2023 será o pico ou apenas mais um passo na subida.

Segundo um dos principais analistas da NOAA, há 1/3 de hipóteses de 2024 ser ainda mais quente e 99% de hipóteses de se situar entre os cinco primeiros. Os cientistas afirmam que há dois factores principais: as emissões de dióxido de carbono (de origem humana) e o fenómeno El Niño, que voltou a aquecer o Pacífico no ano passado (dificilmente controlável pelo homem).

De acordo com a NOAA, o ano de 2023 estabeleceu também o recorde da temperatura dos oceanos: a massa de água do planeta serve como um enorme "amortecedor de calor", atenuando as anomalias de temperatura; quanto mais calor o oceano já tiver - menos será capaz de absorver mais e, por conseguinte, menos será capaz de "compensar" o aumento da temperatura do ar.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cientistas "mais preocupados que nunca" com calor recorde de 2023

Julho é o mês mais quente da História desde que há registos

Mês passado foi o junho mais quente de sempre