Atrasos na ajuda ocidental à Ucrânia estão a ajudar a Rússia, diz ISW

Soldado ucraniano em Klishchiivka, na região de Donetsk
Soldado ucraniano em Klishchiivka, na região de Donetsk Direitos de autor Iryna Rybakova/AP
De  Oleksandra Vakulina
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Rússia está a aproveitar as falhas na ajuda ocidental para lançar ofensivas em várias frentes na Ucrânia, diz o Instituto para o Estudo da Guerra (ISW).

PUBLICIDADE

Os atrasos na assistência ocidental à segurança da Ucrânia estão provavelmente a ajudar a Rússia a lançar operações ofensivas oportunistas ao longo de vários setores da linha da frente, a fim de exercer pressão sobre as forças ucranianas ao longo de vários eixos.

As forças russas estão atualmente a conduzir pelo menos três ações ofensivas - ao longo da fronteira da região de Kharkiv-Luhansk, em especial nas direcções de Kupyansk e Lyman; em Avdiivka e arredores; e perto de Robotyne, na região ocidental de Zaporíjia.

Há alguns dias, o porta-voz do Grupo Estratégico Operacional Tavriia afirmou que a Rússia concentrou mais tropas na frente de Orikhiv do que na frente de Avdiivka.

É provável que os russos tentem avançar em direção à aldeia libertada de Robotyne. Esta zona foi libertada pelas forças ucranianas no final de agosto de 2023.

O Instituto para o Estudo da Guerra (ISW) diz: "As forças russas fizeram um ganho marginal confirmado na região oeste de Zaporíjia após relatos de novas operações ofensivas neste setor da frente, avançando ao longo de uma zona a norte de Kopani, 6 km a noroeste de Robotyne".

Diz o grupo de reflexão: "É provável que as forças russas estejam a tentar tirar partido de duas janelas de oportunidade com o recente início das suas operações ofensivas simultâneas - o período que antecede o degelo da primavera e a dinâmica diferenciada da prestação de ajuda ocidental".

De acordo com o ISW, o aumento da assistência europeia em matéria de segurança é necessário mas não suficiente para que as forças ucranianas estabilizem a frente de combate, e muito menos para que recuperem a iniciativa em zonas onde as forças russas exercem pressão.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ferrovia tornou-se vital para a economia da Ucrânia após a guerra

Zelenskyy e primeira-dama prestam homenagem aos ucranianos mortos na Revolução da Dignidade

Zelenskyy admite "situação extremamente difícil" na linha da frente