Aulas num bunker: Kharkiv vai abrir escolas subterrâneas para centenas de alunos

Ucrânia constrói escolas subterrâneas para proteção dos alunos contra mísseis russos
Ucrânia constrói escolas subterrâneas para proteção dos alunos contra mísseis russos Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Em Kharkiv, a apenas 15 quilómetros da fronteira com a Rússia, estão a ser construídas escolas subterrâneas capazes de aguentar o abalo de um míssil. É a forma encontrada para manter as aulas presenciais, num país onde a guerra já destruiu mais de mil estabelecimentos de ensino.

PUBLICIDADE

A vida de milhões de crianças ucranianas mudou no dia 24 de fevereiro de 2022, quando a Rússia invadiu a Ucrânia. 

Em Kharkiv, a apenas 15 quilómetros da fronteira com a Rússia, o impacto da guerra na educação faz-se notar ainda mais. Nenhum tipo de infraestrutura está a salvo dos bombardeamentos russos. 

O autarca de Kharkiv garante que, apesar do conflito, vai continuar a investir na educação e conta abrir em março as chamadas escolas-bunker . Trata-se de um complexo que combina instalações destinadas ao ensino e abrigos antibomba, estando construído para aguentar o impacto direto de um míssil russo.  

A estrutura está preparada para acolher 400 pessoas - 320 alunos e os respetivos professores. 

Muitas crianças ucranianas nunca estiveram verdadeiramente inseridas no sistema de ensino tradicional. Quando estavam prestes a entrar para a primeira classe, surgiu a pandemia, e não muito tempo depois o país entrou em guerra.  

Mais de mil escolas foram destruídas na Ucrânia desde o início da guerra e, de acordo com a UNICEF, milhões de crianças ucranianas estão agora a receber a sua educação à distância, através da internet, devido aos bombardeamentos constantes. Apenas um quarto das escolas continua a proporcionar aulas presenciais.

O presidente da câmara municipal de Kharkiv afirma que, nas escolas subterrâneas, milhares de crianças poderão prosseguir a educação presencial de forma segura, mesmo perante ameaças de mísseis. 

Estas escolas aceitam crianças de toda a região e especializam-se em artes e tecnologias da informação, recebendo também alunos sobredotados.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Três mortos em ataques russos a várias cidades ucranianas

Ferrovia tornou-se vital para a economia da Ucrânia após a guerra

Zelenskyy e primeira-dama prestam homenagem aos ucranianos mortos na Revolução da Dignidade