Eleições parlamentares no Irão começam com mais de 15 mil candidatos

Um clérigo vota durante as eleições parlamentares e da Assembleia de Peritos numa assembleia de voto em Teerão, no Irão, na sexta-feira, 1 de março de 2024.
Um clérigo vota durante as eleições parlamentares e da Assembleia de Peritos numa assembleia de voto em Teerão, no Irão, na sexta-feira, 1 de março de 2024. Direitos de autor Vahid Salemi/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

Iranianos vão hoje às urnas com número recorde de candidatos. A votação é a primeira desde que, em 2022, eclodiram protestos em massa devido à morte da jovem Mahsa Amini.

PUBLICIDADE

O líder religioso supremo do Irão, Ayatollah Ali Khamenei, votou na sexta-feira nas primeiras eleições parlamentares do Irão desde os protestos em massa de 2022 contra as leis do hijab obrigatório, após a morte de Mahsa Amini, com dúvidas sobre o número de pessoas que irão participar na votação.

Durante a votação, serão também eleitos novos membros para a Assembleia de Peritos do Irão. O painel de clérigos, que cumprem um mandato de oito anos, está mandatado para selecionar um novo líder supremo se Khamenei se demitir ou morrer, o que confere ao seu papel uma importância acrescida com a idade de 84 anos de Khamenei.

Cerca de 15.200 candidatos estão a disputar um lugar no parlamento de 290 membros, formalmente conhecido como Assembleia Consultiva Islâmica. Contudo, muitos candidatos conhecidos foram desqualificados. 

Os mandatos têm a duração de quatro anos e cinco lugares estão reservados para as minorias religiosas do Irão.

Um membro da equipa de uma secção eleitoral prepara cédulas de votação para os eleitores durante as eleições parlamentares e da Assembleia de Especialistas em Teerão, Irão
Um membro da equipa de uma secção eleitoral prepara cédulas de votação para os eleitores durante as eleições parlamentares e da Assembleia de Especialistas em Teerão, IrãoVahid Salemi/Copyright 2024 The AP. All rights reserved

De acordo com a lei, o parlamento supervisiona o poder executivo, vota em tratados e trata de outras questões. Na prática, o poder absoluto no Irão pertence ao seu líder supremo.

Nas últimas duas décadas, o parlamento tem sido controlado por elementos da linha dura.

Mais recentemente, o parlamento tem-se concentrado em questões relacionadas com a obrigatoriedade da cobertura da cabeça, ou hijab, para as mulheres, após a morte, em 2022, de Amini, de 22 anos, sob custódia policial, que desencadeou protestos a nível nacional.

Os protestos rapidamente se transformaram em apelos ao derrube dos dirigentes clericais do Irão. A repressão subsequente matou mais de 500 pessoas, tendo sido detidas mais de 22 000.

Os apelos ao boicote das eleições têm-se multiplicado nas últimas semanas, nomeadamente por parte de Narges Mohammadi, Prémio Nobel da Paz e ativista dos direitos das mulheres, que se encontra detida, e que as considerou uma "farsa".

Desde a Revolução Islâmica de 1979, a teocracia iraniana tem baseado a sua legitimidade, em parte, na participação nas eleições.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tudo o que precisa de saber: O seu guia para as eleições europeias de 2024

Eleições na Bielorrússia com taxa de participação de 73%

Irão realiza eleições parlamentares na sexta-feira