Ucrânia aposta na indústria de defesa nacional enquanto aguarda por mais munições dos aliados

Em comparação com o ano passado, a produção de morteiros, por exemplo, é cerca de 40 vezes maior
Em comparação com o ano passado, a produção de morteiros, por exemplo, é cerca de 40 vezes maior Direitos de autor AP/Russian Defense Ministry Press Service
Direitos de autor AP/Russian Defense Ministry Press Service
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Tropas ucranianas na linha da frente queixam-se da falta de cartuchos. Setor industrial tenta dar resposta às necessidades do exército com produção nacional de munições e armamento.

PUBLICIDADE

Os soldados ucranianos na linha de frente no leste do país estão à espera de mais munições. Em condições normais, precisariam no mínimo de 100 cartuchos por dia. Neste momento, fazem o que podem com apenas 20.

A França em breve será capaz de entregar à Ucrânia 78 blindados e vai aumentar o  fornecimento de munições para atender às necessidades urgentes das tropas ucranianas no combate contra a Rússia, adiantou o ministro da Defesa na terça-feira.

A França também estabeleceu a meta de entregar 80 mil projéteis para canhões de 155 milímetros este ano.

Já a Chéquia tenciona comprar 800 mil projéteis de artilharia para a Ucrânia. Os líderes checos estimam que os primeiros devem ser entregues à Ucrânia até junho.

Mas não há munições suficientes agora, dizem os ucranianos, enquanto lutam contra um exército russo muito maior apoiado por uma próspera indústria de defesa.

"Há sempre falta de munições. Temo-las, mas nunca são suficientes. Precisamos de mais", confessa um soldado ucraniano à AP.

A Ucrânia precisa de qualquer vantagem possível para expulsar a Rússia do seu território. A esperança que lhe resta é a pequena indústria de defesa, mas de rápido crescimento, que o governo tem inundando com dinheiro na expectativa de que as armas e a munição produzidas no país possam ajudar a virar o jogo a seu favor.

O governo ucraniano destinou cerca de 1,4 mil milhões de dólares em 2024 para comprar e desenvolver armas, 20 vezes mais do que o orçamento para a defesa antes da invasão em grande escala da Rússia.

Uma grande parte das armas está agora a ser comprada a fábricas do setor privado. São cada vez mais em todo o país e rapidamente estão a tomar conta de uma indústria que há décadas era dominada por empresas estatais.

Atualmente, cerca de 80% da indústria de defesa está nas mãos dos privados. Em comparação com o ano passado, a produção de morteiros, por exemplo, é cerca de 40 vezes maior e a produção de munição para artilharia quase triplicou, de acordo com o ministro das Indústrias Estratégicas da Ucrânia, Oleksandr Kamyshin.

A falta de mão de obra é um dos principais obstáculos à prosperidade da indústria de defesa ucraniana, uma vez que muitos homens foram mobilizados para a guerra. Perante este cenário, os ucranianos consideram que tem de ser a Europa a dar resposta às necessidades do exército o mais rápido possível se não quer ser arrastada para a guerra mais adiante.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Milhares de pessoas continuam sem eletricidade na Ucrânia após ataques russos

Mapas de guerra: Ucrânia ataca navio de guerra apreendido pela Rússia em 2014

Vice-chanceler alemão: "Não queríamos ver o que Putin anda a fazer"