EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Bombardeamentos russos levam a evacuação de cidades e aldeias na região de Kharkiv

Destroços em Kharkiv após bombardeamentos russos
Destroços em Kharkiv após bombardeamentos russos Direitos de autor UAPBC
Direitos de autor UAPBC
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Foi declarada a evacuação obrigatória de 47 cidades e aldeias da região de Kharkiv. Povoações estão a ser bombardeadas diariamente pelas forças russas. Autoridades declararam que já acordaram os itinerários de evacuação e reservaram locais para o alojamento temporário das pessoas.

PUBLICIDADE

Perante a intensificação da campanha de bombardeamentos russos, as autoridades ucranianas declararam a evacuação obrigatória de 47 cidades e aldeias da região de Kharkiv.

Já foram acordados os itinerários de evacuação e reservados os locais para o alojamento temporário das pessoas. As famílias com crianças devem ser retiradas das cidades da linha da frente.

A Rússia tem vindo a aumentar significativamente os ataques aéreos visando as principais infraestruturas ucranianas. Na quinta-feira, foi destruída a maior central térmica da região de Kiev.

O presidente russo Vladimir Putin, durante uma reunião com o presidente bielorrusso Alexandr Lukashenko, afirmou na quinta-feira que os bombardeamentos são uma "resposta" aos ataques aéreos ucranianos contra as infraestruturas russas.

Parlamento Europeu quer mais ajuda a Kiev

O Parlamento Europeu pressionou os líderes da União Europeia (UE) a fornecerem mais ajuda à Ucrânia.

Na quinta-feira, o Parlamento Europeu recusou-se a assinar uma auditoria ao orçamento do Conselho Europeu, numa tentativa de pressionar os líderes da UE a apoiarem a Ucrânia com mais sistemas de defesa aérea Patriot. A iniciativa foi proposta pelo antigo primeiro-ministro belga e eurodeputado liberal Guy Verhofstadt.

Ucrânia endurece regras de recrutamento militar

O parlamento ucraniano adotou na quinta-feira uma lei controversa, que torna mais apertadas as regras do recrutamento militar.

Um dos pontos mais controversos é o facto de deixar de haver limites de tempo de serviço para os soldados que já se encontram na linha da frente, incluindo os que já lá estão desde o início da invasão em grande escala, há dois anos. 

O presidente Zelenskyy, que deve agora assinar o documento, já referiu que a lei fortalece a liderança militar.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Pelo menos seis mortos após bombardeamentos russos no leste e oeste da Ucrânia

Ataques russos com mísseis e drones atingem centrais termoelétricas no leste da Ucrânia

Ataque russo com mísseis faz seis mortos em subúrbio de Kharkiv