EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

"Parem o genocídio": manifestações por toda a Europa contra a guerra em Gaza

Protesto pró-palestina em Roma
Protesto pró-palestina em Roma Direitos de autor Mauro Scrobogna/LaPresse
Direitos de autor Mauro Scrobogna/LaPresse
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

No sábado, milhares de pessoas reuniram-se em protesto contra o cancelamento do "Congresso da Palestina" (Palästina Kongress) que estava agendado para começar em Berlim, na sexta-feira passada.

PUBLICIDADE

No sábado, realizaram-se várias manifestações em massa nas capitais europeias a favor dos palestinianos, apelando a um cessar-fogo imediato e permanente em Gaza.

Em Roma, os membros da comunidade palestiniana em Itália apelaram não só ao cessar-fogo, mas também a uma solução política a longo prazo para a Palestina. Os manifestantes marcharam pela capital italiana pedindo o "fim do genocídio".

Muitos estudantes universitários juntaram-se ao protesto contra uma nova oferta de cooperação académica entre Roma e Jerusalém promovida pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros italiano.

Em Londres, os organizadores disseram que reuniram dezenas de milhares de pessoas, que marcharam para a Praça do Parlamento.

A Scotland Yard relatou várias prisões por crimes contra a ordem pública, incluindo um homem preso em Londres por fazer "gestos cortantes" aos participantes de uma manifestação pró-israelense muito menor.

Centenas protestam contra o cancelamento do "Palastina Kongress"

Em Berlim, milhares de pessoas reuniram-se em protesto contra o cancelamento do "Congresso da Palestina" (Palästina Kongress) programado na sexta-feira passada.

A polícia cancelou o “Congresso Palestina” duas horas após o seu início. Aproximadamente, 250 participantes do congresso receberam ordens para deixar as instalações no início da noite.

O motivo fornecido pelos organizadores do evento foi um discurso transmitido por vídeo por um indivíduo proibido de se envolver em atividades políticas na Alemanha devido ao discurso de ódio contra Israel e judeus. Quando o indivíduo começou a falar, a polícia interveio e encerrou a transmissão com o corte temporário da energia.

A advogada Nadija Samour, falando em nome dos organizadores, criticou as ações da polícia como totalmente desproporcionais, afirmando que medidas menos severas poderiam ter sido suficientes.

Enquanto isso, o Dr. Ghassan Abu Sitta, um proeminente cirurgião britânico-palestiniano que se voluntariou em hospitais de Gaza durante o início do conflito Israel-Hamas, revelou que lhe foi negada a entrada na Alemanha na sexta-feira para participar do evento. O Dr. Abu Sitta afirmou que chegou ao aeroporto de Berlim na manhã de sexta-feira, apenas para ser detido no controle de passaportes por várias horas, acabando por ser informado de que deveria retornar ao Reino Unido.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Centenas de palestinianos foram impedidos de regressar ao Norte de Gaza

IDF dizem ter recuperado corpos de três reféns israelitas

Palestinianos procuram por sobreviventes após ataque a campo de refugiados de Jabalia