EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Suécia passa a permitir mudança de género a partir dos 16 anos

Diploma foi aprovado com 234 votos a favor e 94 contra
Diploma foi aprovado com 234 votos a favor e 94 contra Direitos de autor Jessica Gow/JESSICA GOW
Direitos de autor Jessica Gow/JESSICA GOW
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Menores de 18 anos vão continuar a precisar da aprovação de um tutor, um médico e do Conselho Nacional de Saúde e Bem-Estar, mas já não será necessário diagnóstico de disforia de género.

PUBLICIDADE

O Parlamento sueco aprovou uma lei na quarta-feira que reduz de 18 para 16 anos a idade necessária para que as pessoas possam mudar legalmente de género.

Os menores de 18 anos vão continuar a precisar da aprovação de um tutor, um médico e do Conselho Nacional de Saúde e Bem-Estar.

Contudo, não será mais necessário um diagnóstico de disforia de género, definido pelos profissionais de saúde como um sofrimento psicológico sentido por aqueles cuja expressão de género não corresponde à sua identidade de género.

O diploma foi aprovado com 234 votos a favor e 94 contra. Outros 21 deputados estiveram ausentes durante a votação.

Outros países europeus, incluindo Portugal, Dinamarca, Noruega, Finlândia e Espanha, á dispõem de legislação semelhante.

Em Portugal, a lei de identidade de género permite, desde 8 de agosto de 2018, o direito à autodeterminação da identidade e expressão de género e a mudança do nome e do sexo no registo civil a partir dos 16 anos, mas com a obrigatoriedade de um documento passado por um médico ou psicólogo para atestar a vontade dos menores com idades entre os 16 e os 18 anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alemanha aprova lei que facilita a mudança de género

Parlamento polaco dá passo histórico para flexibilizar leis do aborto

Parlamento Europeu aprova resolução para incluir aborto nos direitos fundamentais da União Europeia