EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

EUA anunciam pacote de armas no valor de 370 milhões de euros para a Ucrânia

Pacote inclui foguetes, veículos de patrulha e mísseis anti-radiação
Pacote inclui foguetes, veículos de patrulha e mísseis anti-radiação Direitos de autor Sebastian Apel/AP
Direitos de autor Sebastian Apel/AP
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Washington afirma que o seu objetivo é, em parte, ajudar a Ucrânia a defender-se do crescente esforço russo para capturar Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia.

PUBLICIDADE

Este pacote constitui a terceira parcela de ajuda desde o final de abril, na sequência da aprovação pelo Congresso após meses de atraso. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, ao abordar a escalada da situação na quinta-feira, tranquilizou a nação quanto ao armamento americano que está a chegar, garantindo a confiança na sua capacidade de lutar contra a Rússia.

O pacote inclui foguetes, veículos de patrulha e mísseis anti-radiação e provém dos stocks existentes nos EUA para que possam chegar mais rapidamente à frente de guerra.

O porta-voz da segurança nacional da Casa Branca, John Kirby, sublinhou que a ajuda tem por objetivo reforçar as defesas da Ucrânia contra a Rússia, em especial em Kharkiv, onde os ataques russos são frequentes. Embora reconheça a possibilidade de novos avanços russos, Kirby mostrou-se confiante de que o afluxo de assistência dos EUA fortificará a Ucrânia ao longo de 2024.

Um agente da polícia examina fragmentos de uma bomba guiada após o ataque aéreo russo em Kharkiv, Ucrânia, terça-feira, 30 de abril de 2024.
Um agente da polícia examina fragmentos de uma bomba guiada após o ataque aéreo russo em Kharkiv, Ucrânia, terça-feira, 30 de abril de 2024.Andrii Marienko/AP

Na sexta-feira, a Ucrânia teve de enviar reforços para a região de Kharkiv, no nordeste do país, para impedir uma tentativa russa de romper as defesas locais, segundo as autoridades, assinalando uma mudança tática na guerra por parte de Moscovo que as autoridades ucranianas esperavam há semanas.

O governador regional de Kharkiv, Oleh Syniehubov, disse que os intensos bombardeamentos noturnos tiveram como alvo Vovchansk, uma cidade com uma população de cerca de 20.000 habitantes antes da guerra, situada a menos de cinco quilómetros da fronteira russa. A barragem, que utilizou poderosas bombas aéreas guiadas, artilharia, foguetes, tanques e morteiros, matou pelo menos um civil e feriu outros cinco, levando as autoridades a começar a retirar cerca de 3.000 pessoas.

Depois, ao amanhecer, a infantaria russa tentou penetrar nas defesas ucranianas perto de Vovchansk, informou o Ministério da Defesa ucraniano, acrescentando que tinha destacado unidades de reserva para impedir o ataque.

Segundo bloggers militares russos, o ataque pode marcar o início de uma tentativa russa de criar uma "zona tampão" que o presidente Vladimir Putin prometeu criar no início deste ano para travar os frequentes ataques ucranianos a Belgorod e a outras regiões fronteiriças russas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rússia tenta penetrar defesas ucranianas na região de Kharkiv

A Rússia continua a utilizar a ponte da Crimeia para reforçar as suas forças militares na Ucrânia?

Galeria de fotos: Auroras boreais avistadas em Portugal e outros países