EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Blinken reafirma apoio dos EUA à Moldova face à crescente ameaça russa

Secretário de Estado norte-americano visita a Moldávia
Secretário de Estado norte-americano visita a Moldávia Direitos de autor Vadim Ghirda/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Vadim Ghirda/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Secretário de Estado norte-americano conitnua a visita à Europa de Leste. Na Moldova, Blinken prometeu 135 milhões de dólares para ajudar o país no setor energético.

PUBLICIDADE

Antony Blinken prometeu 135 milhões de dólares (cerca de 125 milhões de euros) de ajuda à Moldova para a segurança energética, mas também para combater a desinformação russa.

Blinken iniciou uma breve visita à Europa de Leste com uma paragem em Chisinau, capital da Moldova, onde anunciou a ajuda numa conferência de imprensa com o presidente Maia Sandu.

O diplomata norte-americano afirmou que 85 milhões de dólares se destinariam a reforçar as infraestruturas energéticas, enquanto cerca de 50 milhões de dólares se destinavam a reformar os setores da energia e da agricultura e a impedir a desinformação do Kremlin.

A segurança energética é fundamental para a Europa

Até agora, os EUA forneceram à Moldova um total de cerca de 774 milhões de dólares (717 milhões de euros) em assistência financeira desde o início da guerra ucraniana em fevereiro de 2022. Cerca de 300 milhões de dólares (equivalente a 278 milhões de euros) desse montante foram destinados à segurança energética.

“Tenho o prazer de anunciar que também dedicaremos US $ 85 milhões, parte desse esforço de US $ 300 milhões, para apoiar a infraestrutura de energia, para melhorar coisas como baterias para armazenar energia”, disse Blinken.

“Para além das linhas de transmissão de alta tensão a que já dedicámos alguns fundos. E isso, por sua vez, irá reforçar a sua resiliência energética, reforçar a sua rede. O corredor de gás entre a Grécia e a Moldova irá também ajudar a Moldova a desligar-se da energia russa", acrescentou.

Com cerca de 2,5 milhões de habitantes, o país era totalmente dependente da Rússia para o seu abastecimento de gás natural. Enfrentou uma crise energética aguda depois de Moscovo ter cortado o fornecimento no inverno de 2022.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Secretário de Estado dos EUA garante à Moldova apoio de Washington

EUA reafirmam que assistência militar chegará em breve à Ucrânia

Blinken faz visita surpresa a Kiev para dar "sinal de tranquilidade" aos ucranianos