EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Política da UE. Sondagem revela que metade dos gregos vota nas europeias para resolver problemas internos

Espaço público em Atenas
Espaço público em Atenas Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Antes das eleições europeias, debate político na Grécia está centrado nas principais questões do país e não nas matérias que envolvem mais diretamente a Europa. Economia e migração são dois dos temas com maior apelo junto do eleitorado.

PUBLICIDADE

Pouco antes das eleições europeias deste ano, os assuntos internos voltam a estar no centro das atenções na Grécia.

Apesar de, nos últimos cinco anos, o papel da Europa na vida quotidiana de todos os cidadãos se ter tornado mais claro, o debate político na Grécia, especialmente antes das eleições, centra-se nos problemas locais.

Numa sondagem recente da MRB, cerca de 50% dos gregos afirmaram que votariam para promover soluções para questões internas.

"O governo pode dizer que a inflação está a baixar, mas as pessoas ouvem “baixar” e querem ver os preços a descer. Na realidade, não são os preços que descem, mas o ritmo a que sobem.", clarifica Dimitris Mavros, diretor-Geral da MRB Hellas.

"Em segundo lugar nestes critérios estão as questões nacionais. O terceiro critério é o rendimento pessoal. Poder-se-á dizer que isto está interligado com a questão dos preços elevados. E está, embora as pessoas estejam a dizer agora que não são apenas os preços que estão altos, mas também os seus rendimentos, que estagnaram”, acrescenta.

A questão que se coloca quando se trata de escolher os representantes para o Parlamento Europeu é se sabemos realmente em que votamos e quais são os verdadeiros interesses em jogo. De acordo com o diretor do gabinete do Parlamento Europeu na Grécia, tudo se resume a estar mais bem informado.

Penso que quanto mais as pessoas estiverem expostas ao trabalho do Parlamento Europeu, mais os seus critérios mudam" realça Kostas Tsoutsoplides.

"Desde a questão de saber se a Europa vai ter a sua própria capacidade defensiva independente até à forma como o crescimento industrial da Europa será apoiado, como a resposta da Europa à crise climática será concretizada, como a democracia será aprofundada e, em geral, como a posição da Europa no mundo será reforçada”, complementa.

Economia, migração, assuntos externos, defesa e segurança comuns, justiça... todas estas são, como tudo indica, as questões, locais ou europeias, que levarão os gregos às urnas no dia 9 de junho.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Supersondagem Euronews: Partido de Mitsotakis lidera destacado na Grécia

Grécia: greves contra desemprego e baixos salários

Primeiro-ministro da Grécia anuncia os candidatos do partido Nova Democracia às eleições europeias