EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Supremo Tribunal israelita acaba com isenção militar dos ultraortodoxos

Isenção é muito contestada desde o início da guerra em Gaza
Isenção é muito contestada desde o início da guerra em Gaza Direitos de autor Ariel Schalit/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Ariel Schalit/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Decisão jurídica promete abalar governo de Benjamin Netanyahu. Homens ultraortodoxos que estudassem em institutos religiosos estavam isentos do serviço militar.

PUBLICIDADE

Terminou a exceção que, até agora, poupava os homens judeus ultraortodoxos a estudar nas instituições religiosas de cumprir o serviço militar em Israel. O supremo tribunal israelita decidiu, por unanimidade, acabar com esta exceção. A decisão pode abalar ou mesmo deitar abaixo o governo de Benjamin Netanyahu, que sempre protegeu esta comunidade.

Esta exceção conseguida pela influente comunidade ultraortodoxa sempre recolheu bastantes críticas da opinião pública israelita, sobretudo desde que começou a atual guerra contra o Hamas na Faixa de Gaza, que já custou a vida a centenas de soldados israelitas.

A gestão da guerra e da crise dos reféns por parte do governo de Netanyahu é cada vez mais contestada. Desde que começou, na sequência dos ataques de 7 de outubro, o conflito matou mais de 37.600 palestinianos.

A maior parte dos israelitas, homens e mulheres, é obrigada a servir no Tsahal quando cumpre 18 anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Netanyahu diz que não concordará com acordo que termine a guerra em Gaza e aponta ao Hezbollah

Dezenas de mortos em Gaza e civil usado como escudo humano por israelitas na Cisjordânia

EUA prometem apoio a Israel na eventualidade de uma guerra em grande escala com o Hezbollah