EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Petróleo atinge valor mínimo em sete anos

Petróleo atinge valor mínimo em sete anos
Direitos de autor 
De  Euronews com REUTERS
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A tendência descendente foi confirmada esta sexta-feira após um alerta lançado pela Agência Internacional de Energia que afirma que o excesso de

PUBLICIDADE

A tendência descendente foi confirmada esta sexta-feira após um alerta lançado pela Agência Internacional de Energia que afirma que o excesso de oferta poderá prolongar-se no próximo ano.

Em Londres o índice Brent descia abaixo dos 39 dólares por barril enquanto nos Estados Unidos o WTI estabilizava em torno dos 36,50 dólares.

A falta de consenso entre os países da OPEP quanto a um teto de produção tem levado a um excesso de oferta com particular destaque para o crude iraquiano.

“A procura em 2016 a procura será mais fraca e poderemos ver ainda o Irão regressar aos mercados caso as sanções sejam levantadas. Não vejo razões para antecipar uma subida nos preços. Penso que 2016 será um ano de preços baixos” adiantou o diretor-executivo da agência, Fatih Birol.

Em novembro os países da OPEP produziram 31,7 milhões de barris por dia.

Para o consumidor o excesso de oferta pode traduzir-se em preços mais baixos nas bombas de gasolina.

Na origem da atual situação está a estratégia do maior produtor mundial, a Arábia Saudita, que pretende arrasar com os produtores de petróleo de xisto cujos custos de produção são muito mais elevados.

Um relatório da Administração norte-americana de energia publicado esta semana mostra que a produção de petróleo de xisto diminuiu pelo nono mês consecutivo.

Vários analistas, entre eles o banco Goldman Sachs, não descartam a possibilidade do barril vir a atingir os vinte dólares no próximo ano.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Portugal celebra as feras e os heróis míticos com uma moeda de Ulisses

O mundo está a ficar mais rico, mas quem é que está a beneficiar?

Classificação dos salários médios europeus: qual é a posição do seu país?