EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Volkswagen perde mercado mas mantém-se líder de vendas na UE

Volkswagen perde mercado mas mantém-se líder de vendas na UE
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O grupo Volkswagen fechou 2015 como líder de vendas de automóveis na União Europeia, mas, ainda assim, não evitou o impacto negativo do escândalo em

PUBLICIDADE

O grupo Volkswagen fechou 2015 como líder de vendas de automóveis na União Europeia, mas, ainda assim, não evitou o impacto negativo do escândalo em que se viu envolvida em setembro nos Estados Unidos, o qual terá sido preponderante para a primeira perda de cota de mercado em 8 anos da marca alemã. Os números de 2015 foram revelados esta sexta-feira pela Associação Europeia de Fabricantes de Automóveis (ACEA, na sigla francesa).

[ Relatório, em PF, das vendas automóveis na UE em 2015 ]

O caso da manipulação dos testes de emissões de gases afetou terá sido o motivo para a Volkswagen fechar o ano com menos 8 décimas na cota de mercado, isto é, 24,6 por cento face aos 25,4 de 2014. Ainda assim, a marca alemã consegue mais do dobro da cota de mercado do que o grupo PSA (10,6 por cento), que detém a Peugeot e a Citröen, o qual também perdeu 3 décimas face ao ano anterior.

Passenger car registrations: +9.3% in 2015; +16.6% in December | PRESS RELEASE: https://t.co/Dr4q5EY8Tlpic.twitter.com/PCqzeatH3B

— ACEA (@ACEA_eu) 15 janeiro 2016

A nível europeu, a Volkswagen matriculou mais 6,1 por cento de veículos, ou seja, a marca alemã vendeu 3.377.799 automóveis novos entre os “28”. O grupo PSA ficou-se pelos 1.448.819 carros novos vendidos, o que, apesar de tudo, representou uma subida percentual superior à do rival alemão (6,2). O grupo Renault, o terceiro mais vendido na UE, registou uma subida percentual ainda maior, de 9,2 por cento (1.334.556 automóveis novos).

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Diretora financeira da Huawei detida no Canadá

Guerra aberta entre Bombardier e Boeing

Ryanair cancela mais voos a partir de novembro