Governo alemão nega plano de resgate para o Deutsche Bank

Governo alemão nega plano de resgate para o Deutsche Bank
De  Nelson Pereira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A situação do Deutsche Bank prendeu esta quarta-feira a atenção dos mercados, com uma sucessão de notícias e desmentidos.

PUBLICIDADE

A situação do Deutsche Bank prendeu esta quarta-feira a atenção dos mercados, com uma sucessão de notícias e desmentidos. O governo alemão viu-se obrigado a negar a existência de um plano de resgate e o presidente do Deutsche Bank, o britânico John Cryan, veio garantir que o maior banco alemão não necessita de ajudas do Estado.

#JohnCryan in BILD</a> interview: government aid is not an option for <a href="https://twitter.com/hashtag/DeutscheBank?src=hash">#DeutscheBank</a></p>&mdash; Deutsche Bank (DeutscheBank) 28 septembre 2016

Entretanto, o Deutsche Bank anunciou a venda da seguradora britânica Abbey Life à Phoenix Group Holdings, por um valor superior a mil milhões de euros.

O Departamento de Justiça norte-americano anunciou, a 15 de setembro, a aplicação de uma multa de 14 mil milhões de dólares ao banco alemão, acusado de ter vendido empréstimos hipotecários residenciais tóxicos a investidores, antes do início da crise financeira de 2007/08.

Os responsáveis do banco têm negado que esta multa recorde torne necessária uma intervenção pública.

Andreas Dombret, membro do departamento de supervisão bancária no banco central alemão, sugeriu na terça-feira em declarações à agência Reuters que os bancos devem optar por reduzir as suas dimensões em vez de contar com mais resgates públicos.

Trotz aller Dementi arbeitet die Bundesregierung an einem Notfallplan für die Deutsche Bank, berichtet DIEZEIT</a>. <a href="https://t.co/eefQBqtPK9">https://t.co/eefQBqtPK9</a></p>&mdash; ZEIT ONLINE (zeitonline) 28 septembre 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Quem são as GRANOLAS? Um olhar sobre os "Magnificent Eleven" da Europa

2023: O ano das grandes falências

Os drones iranianos podem ameaçar o petróleo europeu?