Cuba: Charutos artesanais rendem milhões

Cuba: Charutos artesanais rendem milhões
De  Patricia Cardoso com Reuters, EFE
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Durante cinco dias, os famosos charutos artesanais de Cuba são as estrelas do festival anual em Havana.

PUBLICIDADE

Durante cinco dias, os famosos charutos artesanais de Cuba são as estrelas do festival anual em Havana. O evento espera 2 mil visitantes de mais de 50 países e as perspetivas de negócio são boas.

#Habano Festival Starts Amid Great Expectation #Cubahttps://t.co/2AaaOP7jWNpic.twitter.com/gSn98JyRGJ

— Cuban Embassy in US (@EmbaCubaUS) 27 de fevereiro de 2017

As vendas de “habanos” subiram 5% no ano passado, atingindo 445 milhões de dólares.

XIX Festival del #Habano en #Cuba: Mercado internacional de puros Premium abarca 400 millones de unidades, con exclusión de EE. UU. pic.twitter.com/8kgnF1q9xG

— OfiTurismo Cuba_Vzla (@ofiturismovzla) 28 de fevereiro de 2017

Para lá do crescimento da procura, este ano, condições climáticas são favoráveis, após dois anos difíceis, como explica Luis Sánchez-Harguindey, copresidente da empresa cubano-espanhola Habanos: “Os dois últimos anos não foram bons. Mas os ‘habanos’ não foram os únicos afetados. Afetou todos os produtores das Caraíbas. Este ano, o clima está a ser fantástico. No entanto, apesar das fracas condições meteorológicas, fomos capazes de manter o negócio em crescimento”.

A reaproximação entre Estados Unidos e Cuba foi benéfica para o setor tabaqueiro cubano.

O número de turistas aumentou 13%, no ano passado, e, desde outubro, os viajantes norte-americanos deixaram de ter limites à compra de charutos e de rum, para consumo próprio. Até então, estavam limitados a 100 dólares de compras.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

A guerra entre Israel e o Hamas está a afetar a economia israelita

Mercado único europeu coloca objetivos ecológicos e digitais no centro das atenções em 2024

Comissão Europeia revê em baixa previsões de crescimento económico