Wall Street desobedece a Trump

Wall Street desobedece a Trump
Direitos de autor from AFP video
De  Teresa Bizarro com Agências
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Bolsa de Nova Iorque voltou atrás na decisão de retirar três telecoms chinesas do mercado

PUBLICIDADE

A Bolsa de Nova Iorque desistiu da ideia de retirar três companhias chinesas do mercado de ações. Três empresas de telecomunicações detidas pelo governo de Pequim, que se tornaram um alvo na guerra comercial entre os Estados Unidos e a China.

A 31 de dezembro, Wall Street anunciou que ia cumprir a ordem do Presidente dos Estados Unidos. Esta terça-feira voltou atrás.

A porta-voz do Ministério chinês dos Negócios Estrangeiros fez questão de sublinhar que a retirada das ações do mercado nova iorquino teria "pouco impacto" nas empresas em causa. Na opinião de Hua Chun-ying a decisão iria prejudicar os interesses e a imagem dos Estados Unidos e dos mercados norte-americanos.

Assim que a decisão foi conhecida, as ações das trÊs companhias valorizaram, tanto na praça de Nova Iorque, como em Hong Kong onde também estão cotadas.

China Unicom subiu 8.5%, um pouco acima da China Telecom que valorizou 8% e da China Mobile que chegou a ganhar 7%.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Trump não desiste, segunda volta na Geórgia decide controlo do senado

Ofensiva diplomática chinesa em África

Diretor executivo da Web Summit, Paddy Cosgrave, confirma regresso após comentários sobre Israel