EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Política da UE. Comissão Europeia prevê descida da inflação apesar do aumento do preço do petróleo

Aumento do preço dos combustíveis em Frankfurt, Alemanha
Aumento do preço dos combustíveis em Frankfurt, Alemanha Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Jack SchicklerEuronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

A inflação poderá ser de apenas 2,2% na UE no próximo ano. Bruxelas reviu em alta crescimento de Portugal para este ano.

PUBLICIDADE

A Comissão Europeia prevê que, apesar do aumento dos preços dos principais produtos de base, como o petróleo bruto, a inflação diminuirá para mais de metade este ano, com números melhores do que o previsto.

As previsões de primavera, divulgadas esta quarta-feira, mostram um otimismo crescente sobre o estado da economia, numa altura em que os eleitores preocupados com o aumento dos preços se preparam para ir às urnas.

"Ultrapassámos uma etapa depois de um 2023 muito desafiante", disse o Comissário Europeu para a Economia, Paolo Gentiloni, num comunicado, prevendo um aumento para 1% do crescimento em todo o bloco este ano. Mas acrescenta: "Com duas guerras a continuarem a grassar não muito longe de casa, os riscos de queda aumentaram".

A luta contra a subida dos preços é vista como a questão número um antes das eleições europeias de junho. De acordo com uma sondagem exclusiva publicada pela Euronews em março, mais de dois terços dos europeus consideram que esta deve ser uma prioridade.

A Comissão Europeia prevê agora que a inflação na UE desça para 2,7% este ano, depois de ter atingido um máximo de cerca de 10% após a pandemia e a guerra da Rússia na Ucrânia ter afetado a economia.

A gestão destes problemas levou o Banco Central Europeu, que deve manter a inflação da zona euro nos 2%, a aumentar as taxas de juro em valores recorde e, em abril, o seu conselho de administração declarou que a sua política se manteria restritiva "enquanto fosse necessário".

O preço da energia ainda está a aumentar, mas a acalmia dos mercado dos produtos alimentares e de outros produtos está a arrefecer as pressões inflacionistas, afirmou a Comissão, acrescentando que a economia da UE criou dois milhões de postos de trabalho no ano passado.

Nas previsões para Portugal, a Comissão Europeia melhorou as previsões de crescimento económico para 1,7% este ano e 1,9% no próximo, acima da média da zona euro e da UE. Bruxelas revela-se mais otimista do que o Governo, que inscrevera no Plano de Estabilidade uma taxa de crescimento de 1,5% este ano e 1,8% para 2025.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Combates intensificam-se em Kharkiv após retaliação da Ucrânia em Belgorod

Exclusivo: Letta apela a uma estratégia industrial europeia para competir com EUA

Comissário europeu para a Economia sem arrependimentos apesar da reação negativa ao Pacto Ecológico