Saatchi lança exposição sobre as "selfies" ao longo dos séculos

Saatchi lança exposição sobre as "selfies" ao longo dos séculos
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

São as famosas "selfies" uma forma de expressão artística? "From Selfie to Self-Expression", na Galeria Saatchi, em Londres, explora esse fenómeno global.

PUBLICIDADE

São as famosas “selfies” uma forma de expressão artística? A proposta da exposiçãoFrom Selfie to Self-Expressionna Galeria Saatchi, em Londres, é arrojada: explorar os autorretratos de Rembrandt, van Gogh ou Picasso juntamente com trabalhos contemporâneos baseados nesse fenómeno global que só diz respeito a todos os que tenham um telemóvel.

O diretor da Saatchi, Nigel Hurst, afirma que “há séculos que partilhamos imagens de nós próprios. Agora isso acontece a uma dimensão massificada. Mas só agora também é que temos meios técnicos como os smartphones que andam connosco o tempo todo e que utilizamos para nos documentar e documentar o que se passa à nossa volta, as coisas que achamos notáveis. Talvez seja mesmo possível olharmos para dentro e para fora ao mesmo tempo”.

‘From Selfie to Self-Expression’ opens 31st March! (Renoir, Self-Portrait, 1876, Oil on canvas,© President and Fellows of Harvard College) pic.twitter.com/p423IsrcRz

— Saatchi Gallery (@saatchi_gallery) 25 mars 2017

Por ocasião desta mostra, a galeria organizou também um concurso de selfies que recolheu mais de 14 mil trabalhos. A vencedora foi a artista britânica Dawn Wolley.

Andrew Garrity, representante da Huawei, questiona “o papel da fotografia móvel no conceito de autoexpressão. Não se trata apenas da fotografia em si, mas do facto de dar às pessoas o poder de se expressarem de novas formas, para além do simples clique. É um gesto mais valorizado do que era no passado”.

O artista americano Daniel Rozin apresenta uma versão da selfie baseada na arte digital interativa, que permite aos utilizadores criar retratos estilizados. Rozin considera que é importante que o público possa ter uma imagem não das suas imperfeições, mas “que seja um pouco idealizada”. E o mesmo autor propõe uma versão mecânica que fornece uma autorrepresentação assente apenas numa silhueta.

O colombiano Juan Pablo Echeverri começou a fazer autorretratos nas máquinas automáticas em meados dos anos 90. O artista salienta que “até há oito anos, quando dizia às pessoas que trabalhava em autorretratos, ninguém percebia. Agora as pessoas dizem: ‘Ah, são selfies!’. Esta exposição funciona porque reúne toda a gente para colocar a questão: o que é um autorretrato e o que é uma selfie?”.

“From Selfie to Self-Expression” está patente até ao final de maio.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

A exposição de Burtynsky na Saatchi Gallery "abre a cortina" sobre o impacto da humanidade na Terra

A floresta foi a inspiração da nova exposição do fotógrafo francês Vincent Munier

"La tête froide", o filme que traz um olhar diferente sobre a migração