This content is not available in your region

A versão concerto da ópera Tosca ao ar livre em Espanha

euronews_icons_loading
A versão concerto da ópera Tosca ao ar livre em Espanha
Direitos de autor  euronews
De  Andrea Bolitho

A versão concerto, ao ar livre, da ópera Tosca é um dos destaques do Festival Castell de Peralada, no norte da Espanha.

Representada pela primeira vez a 14 de janeiro de 1900, em Roma, a ópera de Giacomo Puccini (1858-1924) retrata as convulsões políticas do verão de 1800, depois da queda da República Romana.

A Rainha Maria Carolina, mulher de Fernando IV, Rei de Nápoles, instala-se em Roma e incumbe o Barão Scarpia de criar uma polícia secreta para assegurar a restauração da monarquia.

O tenor alemão Jonas Kaufmann, a soprano norte-americana Sondra Radvanovsky e o barítono espanhol Carlos Álvarez desempenham os papéis principais sob a direção de Nicola Luisotti.

Uma das óperas mais perfeitas

"É uma das óperas mais perfeitas jamais escritas. Há provavelmente um mão cheia de óperas onde não queremos perder uma só nota. Tosca é definitivamente uma dessas óperas", disse à euronews o tenor alemão.

"Esta ópera fala de amor, luta, ciúme. Lutar por aquilo em que se acredita. Ser verdadeiro face a si próprio. Cavaradossi e Tosca são fiéis a si próprios e é por isso que morrem no fim. Peço desculpa por contar o fim", disse à euronews a soprano norte-americana Sondra Radvanovsky.

"A personagem não é tanto uma diva, é apenas uma jovem cantora. Sabemos que ela ama o que faz e está apaixonada. Penso que é uma Tosca simples e bondosa", considerou Sondra Radvanovsky.

Jonas Kaufmann desempenha o papel de Cavaradossi . "Cavaradossi precisa de amar perdidamente a Tosca, aconteça o que acontecer, ele derrete-se diante dela. A Tosca é representada às vezes como uma personagem vadia. Meu Deus, isso não é credível", frisou Jonas Kaufmann.

O barítono espanhol Carlos Alvarez quis dar uma nova dimensão ao retrato do sádico chefe de polícia Scarpia. "É preciso ver Scarpia como um homem apaixonado, apaixonado e desesperado. Isso faz-nos esquecer o arquétipo do ser poderoso e mesquinho. Uma pessoa pode ser má, mas de forma mais boazinha", considerou Carlos Álvarez.

euronews
Sondra Radvanovsky e Jonas Kaufmann na versão concerto do thriller operático de Puccinieuronews

As virtudes da simplicidade

Para a soprano Sondra Radvanovsky, a ária mais icónica da ópera Tosca deve ser interpretada com simplicidade. "A melhor forma de cantar 'Vissi d'arte' é cantá-la com simplicidade, na minha opinião, é mais eficaz, é como uma oração humilde", sublinhou Sondra Radvanovsky.

"É uma versão concerto, o que permite ao público concentrar-se ainda mais na música”, sublinhou Carlos Álvarez. "É mais íntimo e há um colorido diferente na versão concerto", disse a soprano Sondra Radvanovsky. "A música é muito límpida. Descreve o e cria imagens", acrescentou Jonas Kaufmann.

A ópera de Giacomo Puccini subiu ao palco a 25 de julho, no âmbito do Festival Castell de Peralada, no norte de Espanha.