This content is not available in your region

Valentyn Vasyanovych filma o quotidiano dos ucranianos

euronews_icons_loading
Valentyn Vasyanovych filma o quotidiano dos ucranianos
Direitos de autor  Domenico Stinellis/AP
De  Euronews

A vida diária dos ucranianos desde há um mês - pessoas em fuga, soldados, idosos, mulheres, crianças - são as imagens que o realizador ucraniano, Valentyn Vasyanovych e os seus colaboradores recolhem todos os dias e que o seu produtor, Vladimir Yatsenko, coloca no Facebook, como um diário.

Depois de colocarem as famílias em segurança, Valentyn e Vladimir voltaram a Kiev para registar estes tempos impensáveis.

O cineasta conta: "Vivo entre Kiev e uma residência fora de Kiev. Por vezes eu, Volodya e outros tipos estamos a conduzir e a filmar as crónicas, simplesmente fixando os eventos, não para uso em alguns filmes, mas para que as pessoas possam usá-los como ilustrações, para os seus interesses pessoais".

Nas suas mais recentes ficções, o realizador encenou a invasão russa da Ucrânia oriental, como em Atlantis, um filme premonitório que colocava a ação em 2025, ou em Reflexão, que esteve na seleção oficial do festival de Veneza em setembro passado.

A realidade ultrapassou a ficção para o realizador, em qualquer um dos cenários.

"Ouçam, de manhã tenho um tipo de emoções, à noite tenho outras. Quando o sol aparece, e o céu está azul estamos cheios de esperança e otimismo, acreditamos numa vitória rápida. Mas à noite, tudo isto se acumula em nós, as notícias nem sempre são positivas. Há muitos relatos de que as nossas forças armadas estão a ganhar e a reconquistar territórios. Mas também há relatos que nos destroem. Refiro-me aos relatos de grande número de baixas entre civis, crianças e mulheres. É Mariupol, Kharkiv, Bucha, Irpin e outras cidades".

Por enquanto, como um diário, Valentyn Vasyanovych e os seus colaboradores vão registando imagens que parecem saídas de um filme, mas são a triste realidade, mas admitem pegar em armas se for necessário.

O principal objetivo das filmagens é espalhar a palavra, uma vez que os vídeos estão a ser publicados, sem direitos de autor, na página do Facebook de Yatsenko.