Prémios de Cinema Europeu: Conheça os candidatos a melhor filme

Prémios de Cinema Europeu: Conheça os candidatos a melhor filme
Direitos de autor  euronews
De  Frédéric Ponsard

Os Prémios Europeus de Cinema serão entregues no dia 10 de dezembro, em Reykjavik, na Islândia. Todos os anos, estes prémios honram o que de melhor se faz na sétima arte, na Europa.

Há cinco candidatos ao prémio de melhor filme, dos quais vários fizeram parte do palmarés dos festivais de Cannes, Berlim e Veneza.

Triângulo da Tristeza(Triangle of Sadness) valeu este ano ao sueco****Ruben Östlunda segunda Palma de Ouro de Cannes em apenas cinco anos. Trata-se de uma crítica, em forma de comédia, ao mundo dos super-ricos.

O realizador falou com a Euronews no festival francês. "Do que gosto na história do cinema europeu é que há sempre um foco nas questões sociais e discute-se como criar uma sociedade melhor. O cinema foi sempre uma ferramenta para tentar melhorar as coisas. Não consigo pensar em nada mais sem sentido que fazer filmes se não quiser mudar alguma coisa, tornar as coisas melhores. Isto é o cinema europeu", disse.

O cinema foi sempre uma ferramenta para tentar melhorar as coisas.
Ruben Östlund
Realizador

Da Bélgica, chega o segundo filme de Lukas Dhont, Close, um filme sobre a amizade contrariada entre dois adolescentes. O olhar dos outros acaba por afastá-los um do outro.

"Neste país fala-se várias línguas, por isso, para mim é importante fazer um filme que seja a combinação de várias línguas, quebrar as fronteiras. Quis fazer um filme em que várias coisas existem umas ao lado das outras".

Para mim é importante fazer um filme que seja a combinação de várias línguas, quebrar as fronteiras.
Lukas Dhont
Realizador

Holy Spider transporta-nos até ao Irão. O filme, sobre um serial killer, assassino de prostitutas numa cidade sagrada, é assinado por Ali Abassi, exilado deste país e agora cidadão dinamarquês. É uma coprodução entre a Dinamarca, a Suécia, Alemanha e França.

Alcarràs, coprodução italo-espanhola assinada por Carla Simón, venceu o Urso de Ouro em Berlim. É uma crítica social sobre uma família de agricultores que enfrenta a expulsão das terras que sempre cultivou.

Finalmente, Corsage, da realizadora austríacaMarie Kreutzer, conta a história da imperatriz Sissi. No papel, uma das revelações em ascensão no cinema europeu, a luxemburguesa Vicky Krieps.

Nome do jornalista • Ricardo Figueira