Música dos Balcãs desembarca na Bélgica no final do mês

Música dos Balcãs desembarca na Bélgica no final do mês
Direitos de autor euronews
De  Frédéric Ponsard
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O festival Balkan Trafik!, ideia de um belga e um kosovar, apresenta os projetos mais inovadores, mas também tradicionais desta região da Europa.

PUBLICIDADE

Em Pristina, a capital do Kosovo, o festival Balkan Trafik! voltou às raízes.

O festival nasceu há mais de 15 anos, com o encontro entre o belga Nicolas Wieërs e o kosovar Ilir Sefa. Realiza-se todos os anos no final de abril em Bruxelas e este ano apresenta muitos artistas do Kosovo.

O primeiro episódio do documentário Balkan What!, produzido pelo festival, destaca os talentos desta região,em particular BimBimma, o rapper mais famoso a cantar em albanês, artística e politicamente empenhado: "A música é vida, porque tudo na vida é rítmico. e com o rítmico escolhi fazer poesia e fazer das minhas palavras uma arma para combater os injustos, para lutar pela justiça, pela igualdade, contra a corrupção e por temas sociais como estes, sobretudo porque o Kosovo é um país pobre e em 20 anos poderia ter crescido muito mais do que se vê aqui", diz o artista.

Do moderno e contemporâneo à tradição, vai um passo. O Kosovo tem uma trupe de dança tradicional nacional, a Shota, que conta com 45 bailarinos e músicos e faz digressões pelo mundo.

Para o bailarino-estrela da trupe, é uma parte integrante da cultura e identidade do povo albanês, a maioria no Kosovo. Diz Besnik H. Grajcevci: "Não é por acaso que somos conhecidos nos Balcãs como o povo mais entusiasta, o mais enérgico, com uma forte dinâmica interna e com muitas emoções. É por isso que as nossas danças têm estas características, o nosso ser humano como um todo, incluindo o nosso corpo, as nossas emoções interiores e o aspeto externo agem e falam com o seu próprio mundo".

Do Kosovo à Macedónia do Norte, vai também só um passo, com uma geminação multiétnica única entre a escola de Mitroviça, que reúne sérvios e albaneses no Kosovo, e a de Skopje, na Macedónia do Norte, que acolhe jovens ciganos, com um projecto comum: abanar o corpo e tocar bem alto!

Diz Emir Hasani, gestor de projeto na Escola Rock de Mitroviça: "O rock'n roll foi sempre música popular, a música rock esteve sempre representada na ex-Jugoslávia, por isso foi sempre algo importante na região e, de certa forma, uma subcultura."

Alvin Salimovski , gestor de projeto da Roma Rock School, acrescenta: "Estamos a tentar incluir música tradicional cigana, podemos distinguir o som dessa música".

Os jovens rockers, acompanhados por um grupo neerlandês, tocarão ao vivo em Bruxelas no dia 29 de abril, no Balkan Trafik!

Rap, música tradicional, rock... Claro, quando se fala de música balcânica, não se deve esquecer as famosas bandas de metais. Os cabeças de cartaz do festival serão sem dúvida os Dzambo Agusevi ("The Funky Tinger"), originários da Turquia e estrelas na Macedónia do Norte.

O festival Balkan Trafik! acontece em Bruxelas e Namur, na Bélgica, de 27 a 30 de abril.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Budapeste homenageia compositor Gyorgy Ligeti dando o seu nome a uma rua

Art Paris 2024: a cena artística francesa no centro das atenções, com jovens talentos em destaque

Andrey Gugnin recebe o primeiro prémio de 150.000€ no Concurso Internacional de Piano Clássico 2024