EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Arquivada investigação de crimes sexuais contra o vocalista dos Rammstein

Till Lindemann, vocalista da banda Rammstein, actua no palco do estádio HDI-Arena em Hanover
Till Lindemann, vocalista da banda Rammstein, actua no palco do estádio HDI-Arena em Hanover Direitos de autor AFP
Direitos de autor AFP
De  Jonny Walfisz
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Alemanha abandonou a investigação sobre as acusações de abuso sexual feitas contra Till Lindemann.

PUBLICIDADE

Em junho, o Ministério Público de Berlim abriu um inquérito contra Till Lindemann, o vocalista da banda de heavy metal alemã Rammstein, alegando "crimes sexuais e distribuição de estupefacientes."

Agora, os procuradores anunciaram o abandono da investigação, alegando não existirem provas suficientes para sustentar as alegações.

Durante o verão, várias mulheres afirmaram ter sido drogadas e recrutadas para se envolverem em atividades sexuais com Lindemann, de 60 anos, em festas pós-concerto dos Rammstein.

Lindemann sempre negou as alegações e os seus advogados consideraram-nas "sem exceção, falsas". Na semana passada, a sua equipa de advogados afirmou que iria "tomar imediatamente medidas legais em resposta a todas essas acusações."

O escândalo rebentou depois de uma fã de 24 anos da Irlanda do Norte ter publicado nas redes sociais que tinha sido drogada e pedida em casamento por Lindemann numa festa nos bastidores em Vilnius.

Na sequência das acusações, escreveu um tweet: “gostaria de esclarecer novamente. O Till NÃO me tocou. Ele aceitou que eu não quisesse ter relações sexuais com ele. Nunca afirmei que ele me violou."

AFP
Membros de grupo suíço de direitos das mulheres manifestam-se antes da abertura de concerto dos Rammstein no Estádio Wankdorf em Bernon, 17 de junho de 2023.AFP

No entanto, uma vaga de histórias semelhantes começou a surgir em plataformas como o Twitter, o Instagram e o YouTube.

Na sequência das acusações, a sede da banda em Berlim foi vandalizada. As autoridades policiais confirmaram o incidente contra a propriedade da banda de heavy metal. Os ativistas partiram janelas, pintaram graffitis e escreveram "No stage for perpetrators” (Não há palco para perpetradores).

Em julho, antes das datas de Berlim da digressão dos Rammstein, uma petição intitulada "No Stage for Rammstein" reuniu mais de 75 mil assinaturas, exigindo que os Rammstein não atuassem. No entanto, os espetáculos prosseguiram como previsto, com o senador da Cultura de Berlim, Joe Chialo, a declarar que, apesar de estar "do lado das vítimas", "legalmente não há substância."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Emmys 2024: Shōgun e The Bear lideram as nomeações enquanto True Detective faz história

A história por detrás da fotografia viral de Lionel Messi com o bebé Lamine Yamal

'A eleição acabou': celebridades reagem à tentativa de assassinato de Donald Trump