EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Morreu Michael Gambon, ator conhecido por interpretar Dumbledore em Harry Potter

O ator Sir Michael Gambon, mais conhecido pelo seu papel de Dumbledore em Harry Potter, morreu
O ator Sir Michael Gambon, mais conhecido pelo seu papel de Dumbledore em Harry Potter, morreu Direitos de autor Warner Bros.
Direitos de autor Warner Bros.
De  David MouriquandAP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

A lenda do ecrã e do palco ganhou Oliviers, BAFTAs e Emmys nas suas seis décadas de carreira. "A felicidade pode ser encontrada nos momentos mais sombrios, se nos lembrarmos de acender a luz."

PUBLICIDADE

O ator veterano Sir Michael Gambon morreu tranquilamente no hospital aos 82 anos, segundo a família.

É mais conhecido por ter interpretado o diretor de Hogwarts, Albus Dumbledore, em seis dos oito filmes de Harry Potter. Foi escolhido para interpretar a personagem muito apreciada após a morte do seu antecessor, Richard Harris, em 2002.

Uma declaração da família diz: "Estamos devastados por anunciar a perda de Sir Michael Gambon. Michael morreu pacificamente no hospital com a sua esposa Anne e filho Fergus ao seu lado, após um ataque de pneumonia".

Joel Ryan / AP
Michael Gambon chega a Trafalgar Square para a estreia mundial de Harry Potter e as Relíquias da MorteJoel Ryan / AP

Qualquer que fosse o papel que desempenhasse numa carreira que durou mais de cinco décadas, Gambon era sempre imediatamente reconhecível pelo tom profundo e arrastado da sua voz.

Embora o papel de Potter tenha aumentado o perfil internacional de Gambon e o tenha apresentado a uma nova geração de fãs, há muito que era reconhecido como um dos principais atores britânicos. O seu trabalho estendeu-se à televisão, ao teatro e à rádio, e protagonizou dezenas de filmes, desde O Cozinheiro, o Ladrão, A sua Mulher e o Amante, O Informador, Gosford Park até Um Peixe Fora de Água com Steve Zissou, Salve, César!, O Discurso do Rei e o filme de animação familiar Paddington.

Gambon foi nomeado cavaleiro por serviços prestados ao teatro em 1998.

John Raoux/AP
Membros do elenco dos filmes de Harry Potter - incluindo Gambon, segundo a partir da esquerda - na abertura do Wizarding World of Harry Potter em 2010John Raoux/AP

Nascido na Irlanda a 19 de outubro de 1940, Gambon foi criado em Londres e formou-se como engenheiro, seguindo as pisadas do seu pai. Estreou-se no teatro numa produção de "Othello" em Dublin.

Em 1963, teve a sua primeira grande oportunidade com um papel menor em "Hamlet", a produção inaugural da National Theatre Company, sob a direção do lendário Laurence Olivier.

Gambon tornou-se rapidamente um ator de palco distinto e foi aclamado pela crítica pelo seu desempenho em "Life of Galileo", dirigido por John Dexter. Foi frequentemente nomeado para prémios e ganhou três vezes o prémio Laurence Olivier e duas vezes o Critics' Circle Theatre Awards.

Ator de múltiplos talentos, Gambon recebeu também quatro cobiçados prémios da British Academy of Film and Television Arts pelo seu trabalho em televisão.

Tornou-se um nome conhecido na Grã-Bretanha após o seu papel principal na série da BBC de 1986, The Singing Detective, escrita por Dennis Potter e considerada um clássico do drama televisivo britânico. Gambon ganhou o BAFTA de melhor ator por este papel.

Peter Kramer/AP
Michael Gambon comparece à estreia de Harry Potter e o Enigma do Príncipe - Nova Iorque - 2009Peter Kramer/AP

Gambon era versátil como ator, mas uma vez disse à BBC que preferia interpretar "personagens vilãs". Interpretou o gangster Eddie Temple no thriller policial britânico Layer Cake e um chefe satânico do crime no excelente The Cook, The Thief, His Wife and Her Lover, de Peter Greenaway.

Em 2015, regressou às obras de J.K. Rowling, assumindo um papel de destaque na adaptação televisiva do seu livro "The Casual Vacancy".

Gambon retirou-se dos palcos em 2015, depois de ter dificuldade em lembrar-se das suas falas em frente ao público devido à sua idade avançada. Uma vez ele disse à revista Sunday Times: "É uma coisa horrível de admitir, mas não o consigo fazer. Parte-me o coração".

As homenagens ao falecido ator choveram na Internet:

O ator sempre foi protetor no que diz respeito à sua vida privada. Casou-se com Anne Miller e tiveram um filho, Fergus. Mais tarde, teve dois filhos com a cenógrafa Philippa Hart.

Michael Gambon - 1940-2023

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Morreu o ator britânico David McCallum

Françoise Hardy, atriz e ícone da pop francesa, morre aos 80 anos

Retrato do rei Carlos III alvo de ativistas dos direitos dos animais