Talentoso jovem maestro ganha Prémio Herbert von Karajan

Em parceria com
Da esquerda para a direita, Vitali Alekseenok, Tobias Wögerer e Hankyeol Yoon.
Da esquerda para a direita, Vitali Alekseenok, Tobias Wögerer e Hankyeol Yoon. Direitos de autor Euronews
De  Katharina RabillonEuronews
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Acompanhe os bastidores da final do prestigiado Prémio Herbert von Karajan para Jovens Maestros, em Salzburgo.

Três jovens maestros promissores numa competição única. Chegaram à final do Prémio Herbert von Karajan para Jovens Maestros, em Salzburgo, na Áustria. Quem vai ganhar?

Neste episódio de Musica, acompanhamos os três jovens esperançosos enquanto se preparam para dirigir o seu próprio concerto na final.

Preparativos finais em andamento

Tobias Wögerer é maestro residente na Ópera Popular de Viena. O jovem austríaco passa todos os minutos a preparar-se para o momento mais importante da sua carreira: a final da prestigiada competição de maestros.

“90% do trabalho e da preparação como maestro é apenas ler muito sobre as peças, na privacidade do quarto, na secretária. É pensar e experimentar”, disse ao Musica. “Mas acima de tudo, temos de pensar muito bem na forma como queremos que seja e tentar visualizá-lo”.

Tobias Wögerer
Tobias WögererEuronews

Mais de 300 jovens talentos de todo o mundo candidataram-se ao concurso, mas apenas três conseguiram chegar à final: Tobias Wögerer, Vitali Alekseenok e Hankyeol Yoon.

Hankyeol Yoon é um artista multifacetado. O maestro sul-coreano também é compositor.

"Inspirar os músicos e comunicar com eles, penso que esse foi e continua a ser o meu maior objetivo, e também o que mais me agrada", contou Hankyeol. "A flexibilidade é muito importante. Compreender a ambiência e depois oferecê-la, para que os músicos se mantenham motivados". 

Hankyeol Yoon
Hankyeol YoonEuronews

“A técnica é extremamente importante, mas também a capacidade de motivar e inspirar 100 músicos que tocam para eles [os maestros]”, revelou Manfred Honeck, presidente do júri.

“Não nos podemos esquecer que eles não podem falar durante o concerto. Não podem agir como um treinador de futebol e gritar para o campo. Tudo acontece silenciosamente e têm de confiar apenas nas mãos, gestos e linguagem corporal", acrescentou.

Os candidatos são acompanhados pela renomada Camerata de Salzburgo. Entre os músicos, as expectativas são altas.

"Há algumas coisas que eu gostaria de ver. Em primeiro lugar, um conceito, uma visão do que você quer fazer, confiança na orquestra. É uma troca e eu aprecio muito isso", disse Wally Hase, flautista na Camerata de Salzburgo.

“Para mim, confiança é também a palavra-chave. É muito importante porque a orquestra soa diferente”, explicou a violinista Kana Matsui. "Uma pessoa pode mudar completamente todo o timbre e eu acho isso fascinante".

O maestro bielorrusso Vitali Alekseenok escolheu um conceito ousado. Decidiu alternar a  Sinfonia n.° 2 de Beethoven com uma peça do compositor ucraniano Valentin Silvestrov.

“Entre os movimentos de Beethoven, vem a música silenciosa de Silvestrov. E isso para mim é como pôr o silêncio a tocar música”, disse Vitali ao Musica.

Vitali Alekseenok
Vitali AlekseenokEuronews

“Silvestrov é um compositor muito famoso, especialmente na Ucrânia e na Europa de Leste. Conheci-o no início da guerra, na fronteira entre a Ucrânia e a Polónia. Fui lá buscá-lo, ajudei-o a fugir", contou. 

Homenagem a um compositor visionário

A competição carrega o nome de um ícone: Herbert von Karajan. 

"Herbert von Karajan diria à nova geração para ir sempre mais além do que já sabe. Novas aprendizagens no domínio da inovação - foi isso que o ocupou e inspirou ao longo da vida", explicou Matthias Röder, diretor-geral do Instituto Herbert von Karajan, que preserva o legado do compositor austríaco.

“O que me fascinou muito foi o facto de ele ser um mágico do som”, disse Tobias.

“Curiosamente, Karajan foi um dos primeiros a mostrar-me o caminho para a música clássica”, revelou Vitali.

O Prémio Herbert von Karajan para Jovens Maestros abre ao vencedor portas para uma carreira emocionante.

Veja o episódio de Musica e descubra quem ganhou a prestigiada competição.

Partilhe esta notícia

Notícias relacionadas

Festival em Lyon mistura luz, música e inteligência artificial

A próxima geração de estrelas da ópera no Opera Studio de Zurique

"É sempre importante ultrapassar os limites": A viagem de "tirar o fôlego" de Sonya Yoncheva