Ignorados pelos políticos, pequenos pescadores enfrentam dificuldades

Ignorados pelos políticos, pequenos pescadores enfrentam dificuldades
Direitos de autor  euronews
De  Denis Loctier  & euronews

A pesca artesanal desempenha um papel fundamental na região do Mediterrâneo e do Mar Negro.

A chamada pesca de pequena escala representa 83% da frota, 57% do emprego nos navios, 29% das receitas e 15% das capturas. 

No entanto, os pescadores de pequena escala têm acesso limitado a programas de protecção social e serviços financeiros. Por outrol lado, as capturas da pesca artesanal nem sempre são adequadamente controladas.

Cerca de 85% de toda a frota é composta por pescadores de pequena escala. Os pescadores de pequena escala estão sempre localizados em áreas remotas, pequenos portos. Há muito poucas políticas que lhes sejam dedicadas. Em particular, existe uma enorme discrepância entre a gestão da pesca artesanal e a gestão da pesca industrial", sublinhou Marco Costantini, gestor de projetos de Pesca no Mediterrâneo, da organização WWF.

Soluções vantajosas para todos

"Não sabemos se estão a pescar de forma sustentável, ou se estão a causar um enorme impacto no ecossistema. Estes são os problemas relacionados com o estado dos recursos. Depois há os aspetos sociais, a segurança social, a segurança alimentar. Diria que esses pescadores vivem numa espécie de sombra. No Mediterrâneo, a maior parte das unidades populacionais são sobreexploradas. Se quisermos reduzir esse impacto, temos de compreender a forma como os pescadores de pequena escala estão a pescar, para saber como limitar o impacto e melhorar o estado da biodiversidade. Isso significaria pescar melhor e potencialmente pescar menos. Sim, pescar menos, mas assegurar um bom meio de subsistência para os pescadores", explicou o responsável da WWF.

Aumentar rendimento dos pescadores artesanais

"Existem alternativas à pesca, como o pescatourismo, a restauração. Trata-se de pescar de uma forma diferente, por exemplo, tornar as redes e a forma se pesca mais seletivas é uma forma de reduzir o impacto da pesca. Deste modo, criamos soluções vantajosas para todos. Os pescadores ganham mais e conseguimos reduzir o impacto da pesca no ecossistema", concluiu Marco Costantini.