EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Suécia bate recorde de produção de energia eólica em fevereiro

A energia eólica é essencial para a transição para uma energia limpa
A energia eólica é essencial para a transição para uma energia limpa Direitos de autor Canva
Direitos de autor Canva
De  Charlotte Elton com Maria Barradas
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A Suécia tem apostado forte nas energias limpas e estabeleceu, em fevereiro, um novo recorde de produção de energia eólica. Como está a situação na UE?

PUBLICIDADE

Mais de um quarto da eletricidade da Suécia provém da energia eólica há dois meses consecutivos.

O país escandinavo gerou um recorde de 27% de eletricidade a partir da energia eólica em fevereiro, batendo o seu próprio recorde de 26% estabelecido em janeiro deste ano.

De acordo com uma análise feita pelo grupo de reflexão energética Ember - esta é a maior quota de sempre da produção de energia eólica no país.

Esta produção surge após anos de investimento em energias renováveis - um empurrão que está "a dar frutos", diz Nicolas Fulghum, Analista de Energia e Dados Climáticos da Ember.

"Uma maior produção eólica torna a rede da Suécia mais resistente contra a seca, e protege os consumidores de custos elevados", diz.

"Com a ambição política elevada de expandir ainda mais a energia eólica, a Suécia prepara-se para maiores benefícios em termos de custos, segurança e clima".

Como é que a Suécia estabeleceu um novo recorde para a produção de energia eólica?

A Suécia tem objetivos ambiciosos em matéria de energia limpa e pretende atingir 100% de produção de eletricidade renovável até 2040. Até 2045, o país pretende não ter emissões líquidas de gases com efeito de estufa.

Para atingir estes objtivos, a Suécia tem vindo a canalizar dinheiro para a energia limpa. Desde 2018, a sua capacidade eólica duplicou e o país conta agora com quase 5.000 turbinas.

Estas geraram cerca de 4 terawatts de energia em fevereiro, o equivalente a  27% da procura de eletricidade do país.

Canva
Estocolmo, Suécia. A Suécia tem investido fortemente nas energias limpas nos últimos anosCanva

Em 2022, a Suécia instalou 2,4 GW de capacidade de energia eólica. Apenas a Alemanha instalou mais, com cerca de 2,5 GW. Um gigawatt pode alimentar cerca de 750.000 lares.

Que outros países da UE se comparam à Suécia em matéria de energia eólica?

As emissões globais de gases com efeito de estufa atingiram 58 mil milhões de toneladas em 2022 - um valor recorde. Mas as energias renováveis têm o potencial para cortar este valor preocupante.

A energia eólica produz apenas 0,02% das emissões de CO2 por unidade de energia, quando comparada com o carvão.

À medida que os preços globais da energia continuam a subir - alimentados pela invasão russa da Ucrânia - a capacidade de produção de energia limpa em larga escala é cada vez mais urgente.

A energia eólica é uma opção particularmente boa, uma vez que não está ameaçada pela seca, tal como a energia hídrica, mas muitos países europeus estão a ficar para trás.

Em 2021, a UE conseguiu 34 GW de capacidade eólica e solar combinados. De acordo com a análise da Ember, as adições anuais terão de aumentar para que os objetivos climáticos permaneçam tangíveis. O bloco precisará de ter um total de 76 GW até 2026 para manter o aquecimento global dentro de 1,5 graus Celsius.

Às taxas previstas de implantação, apenas quatro dos 27 países da UE (Finlândia, Croácia, Lituânia e Suécia) conseguirão aumentos anuais suficientemente elevados na capacidade eólica para atingir este objetivo.

Portugal: 80% de energias renováveis até 2026

O ministro do Ambiente e Ação Climática, Duarte Cordeiro, afirmou esta quarta-feira,  na inauguração da central fotovoltaica do Pessegueiro, no Pinhal Novo, concelho de Palmela, que as intenções de investimento em energias renováveis em Portugal ascendem a 60 mil milhões de euros, o que representa 25% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

Duarte Cordeiro lembrou também que a transição energética com uma aposta nas energias renováveis já era uma prioridade para o governo, mas que essa estratégia foi acelerada devido às consequências da guerra na Ucrânia.

PUBLICIDADE

O ministro revelou que "o objetivo é chegar ao final da legislatura com 80% da nossa eletricidade produzida por fontes renováveis"

Duarte Cordeiro referiu ainda que Portugal tem atualmente 17 gigawatts de energias renováveis de capacidade instalada e que, desde o início do ano passado (2022), já licenciou mais quatro gigawatts de energia solar.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Europeus continuam preocupados com a falta de gás no próximo Inverno

Um "Plano Marshall" solar deve estar no centro da recuperação da Ucrânia, diz a Greenpeace

Varandas solares estão a crescer na Alemanha. Eis o que precisa de saber sobre esta popular tecnologia doméstica