EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Grande incêndio em aterro gera contestação à gestão de resíduos na Polónia

A forma como os resíduos são geridos na Polónia está a ser fortemente criticada
A forma como os resíduos são geridos na Polónia está a ser fortemente criticada Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Alegado lixo ilegal vindo da Alemanha está a ser responsabilizado pelo incêndio do mês passado.

PUBLICIDADE

Um grande incêndio no mês passado, no aterro sanitário em Zielona Gora, está no centro de uma disputa sobre a política de gestão de resíduos da Polónia.

Armazenamento e tratamento inadequados, juntamente com cargas ilegais de resíduos, tornaram-se literalmente um grave problema no país. 

Muitos acusam os que estão no poder de negligência a todos os níveis.

"20 milhões de euros para eliminar resíduos, e lidar com os efeitos ambientais, e agora com a recuperação do solo e a proteção, pode ser 10 vezes mais. É uma catástrofe ecológica. Temos reclamações sobre o funcionamento de todos os serviços por não revelarem o impacto real no meio ambiente", diz Dariusz Legutowski, vereador da Câmara Municipal de Zielona Gora.

Alegado lixo ilegal vindo da Alemanha está a ser responsabilizado pelo incêndio do mês passado. Foi depois deste fogo que o Ministério do Clima polaco apresentou uma queixa à Comissão Europeia (CE) sobre as 35 mil toneladas ilegais de lixo vindas da Alemanha. Este deve ser o primeiro passo antes de recorrer ao Tribunal de Justiça da União Europeia.

"As autoridades da República Federal da Alemanha não se sentem obrigadas a recolher estes resíduos. Queríamos resolver esta questão fora dos tribunais. Infelizmente não funcionou. Portanto, de acordo com a lei, cada Estado-Membro da UE tem o direito de apresentar uma reclamação à CE contra outro estado e foi o que fizemos. Agora, a comissão tem 3 meses para analisar e responder a esta questão", explica Aleksander Brzózka, porta-voz do ministério do Clima. 

Christopher Stolzenberg, porta-voz do Ministério do Meio Ambiente da Alemanha, comentou dizendo que "a devolução de remessas ilegais é responsabilidade dos estados federais.” Acrescentou, no entanto, que o facto de haver remessas ilegais de lixo da Alemanha "é uma grande preocupação" para o ministério, que "continua comprometido em melhorar a prevenção de remessas ilegais de lixo na UE.”

O caso do aterro de Zielona Gora levanta apenas a ponta do véu sobre o problema do transporte e armazenamento ilegal de lixo, que acontece a uma escala muito maior. 

"Existem agora mais de 400 desses aterros [ilegais] no país, dos quais cerca de 140 são locais onde foram detetados resíduos perigosos. Cada vez mais jornalistas estão a trazer este assunto à tona. As autoridades também lutam contra isso há muito tempo, então espero que essa tendência de combater o crime ambiental de forma rigorosa - a luta contra os resíduos perigosos - se expanda e mais aterros sejam denunciados", afirma a jornalista Ewa Dunal.

"Devido aos incêndios nos aterros, o governo está a ponderar fornecer mais apoio às comunidades locais para a eliminação de resíduos. As autoridades certamente sentirão maior pressão para agir agora, antes das eleições", conclui Magdalena Chodownik, correspondente da Euronews na Polónia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Resiliência da água não pode ser ignorada: 21 Estados-Membros alertam executivo da UE

Quando é que vai terminar a vaga de calor na Europa? Peritos prevêem o fim, mas com tempestades a seguir

A sujidade do rio Sena pode fazer com que não haja natação no triatlo olímpico, dizem os organizadores