EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Cientistas suecos descobrem um novo e "promissor" avanço na reciclagem de baterias de veículos elétricos

O grupo de investigação de Petranikova passou muitos anos a realizar investigação de ponta na reciclagem de metais encontrados nas baterias de iões de lítio.
O grupo de investigação de Petranikova passou muitos anos a realizar investigação de ponta na reciclagem de metais encontrados nas baterias de iões de lítio. Direitos de autor Chuttersnap
Direitos de autor Chuttersnap
De  Rebecca Ann Hughes
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Os investigadores desenvolveram um método de reciclagem que permite a recuperação de 100% do alumínio e 98% do lítio das baterias dos automóveis elétricos.

PUBLICIDADE

O método permite a recuperação de metais muito mais valiosos que se encontram nas baterias dos veículos elétricos.

O processo também não requer a utilização de produtos químicos caros ou nocivos, afirmam os cientistas.

"Como o método pode ser ampliado, esperamos que possa ser utilizado na indústria nos próximos anos", afirma Martina Petranikova, líder da investigação.

Como são recicladas as baterias dos automóveis elétricos?

O atual método de reciclagem à base de água é designado por hidrometalurgia.

Na hidrometalurgia tradicional, todos os metais de uma célula de bateria de EVS  são dissolvidos num ácido inorgânico.

As "impurezas" - como o alumínio e o cobre - são então removidas e os metais valiosos, como o cobalto, o níquel, o manganês e o lítio, são recuperados.

Embora a quantidade de alumínio e cobre residuais seja pequena, são necessárias várias etapas de purificação e cada etapa deste processo pode significar a perda de lítio.

A inversão do processo de reciclagem

Os investigadores da Universidade de Tecnologia de Chalmers, na Suécia, desenvolveram um método de reciclagem que permite a recuperação de 100% do alumínio e 98% do lítio das baterias dos automóveis elétricos.

O método consiste em inverter a ordem atual do processo e recuperar primeiro o lítio e o alumínio. Ao mesmo tempo, minimiza-se a perda de matérias-primas valiosas como o níquel, o cobalto e o manganésio.

"Até agora, ninguém conseguiu encontrar as condições exatas para separar esta quantidade de lítio utilizando o ácido oxálico e, ao mesmo tempo, remover todo o alumínio", afirma Léa Rouquette, aluna de doutoramento do Departamento de Química e Engenharia Química da Chalmers.

"Uma vez que todas as baterias contêm alumínio, temos de ser capazes de o remover sem perder os outros metais", diz.

No seu laboratório de reciclagem de baterias, Rouquette e a líder da investigação, Petranikova, colocam células de baterias de automóveis usadas e o seu conteúdo pulverizado numa capela de fumos.

O pó preto finamente moído é dissolvido num líquido orgânico transparente chamado ácido oxálico - um ingrediente mais amigo do ambiente que pode ser encontrado em plantas como o ruibarbo e os espinafres.

O pó e o líquido são colocados numa máquina que faz lembrar uma batedeira de cozinha. Aqui, o alumínio e o lítio das pilhas dissolvem-se no ácido oxálico, enquanto os outros metais ficam como sólidos.

A última etapa do processo consiste em separar estes metais para recuperar o lítio, que pode depois ser utilizado para fabricar novas baterias.

"Uma vez que os metais têm propriedades muito diferentes, pensamos que não será difícil separá-los. O nosso método é uma nova e promissora via para a reciclagem de baterias - uma via que merece definitivamente ser mais explorada", diz Rouquette.

O grupo de investigação de Petranikova passou muitos anos a realizar investigação de ponta na reciclagem de metais encontrados nas baterias de iões de lítio.

Está envolvido em várias colaborações com empresas para desenvolver a reciclagem de baterias de automóveis elétricos. O grupo é parceiro em grandes projetos de investigação e desenvolvimento, com marcas como a Volvo e a Northvolt.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Acordo UE-Estados Unidos sobre baterias para os veículos elétricos

Suécia testa tecnologia de estradas que carregam veículos elétricos

Os Verdes não apoiarão von der Leyen sem convite para uma grande coligação