Companhias preparam o regresso aos céus em segurança

Companhias preparam o regresso aos céus em segurança
Direitos de autor Francisco Seco/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Companhias preparam o regresso aos céus em segurança. Para além de inspeções e testes técnicos também os pilotos têm que regressar à formação prática e teórica

PUBLICIDADE

Desde o início da pandemia que milhares de aviões por todo o mundo se viram forçados a permanecer em terra.

Com o avanço das campanhas de vacinação e alívio gradual das restrições, as companhias aéreas preparam agora o regresso ao trabalho para o que muitos anteveem como um verão semi-normal.

Mas à regresso à normalidade apresenta desafios.

Os aparelhos desativados há meses têm que ser sujeitos a centenas de horas de testes técnicos e de segurança antes de poderem levantar vôo. É o que acontece aos aviões da frota da Brussels Airlines.

"Este aparelho está há um ano sem voar e agora vamos iniciar o procedimento de retorno operacional. São necessárias muitas horas de inspeção e o desempenho de várias tarefas de modo a garantir o regresso aos ares em segurança. Como pode ver, todos os sistemas do aparelho são testados. Cada componente é inspecionado e testado de acordo com os manuais. É assim que garantimos o retorno em segurança", afirma Simon Michaux, líder da equipa técnica da Brussels Airlines.

No final de Abril, o fluxo de tráfego aéreo nos céus europeus atingiu 62% em relação a 2019. 

No entanto, trata-se de uma melhoria relativamente ao ano passado, altura em que a interrupção do tráfego aéreo na Europa atingiu quase 100%.

Mas o regresso às operações não depende apenas dos aviões. Também os pilotos, afastados do trabalho há meses, precisam de adicionar horas de voo o que implica o regresso à formação teórica e prática, incluindo o recurso a simuladores.

"Realizamos testes a intervalos regulares para avaliar os progressos. Fazemos isso continuamente para nos certificarmos que os pilotos atingem os padrões necessários. Nenhum piloto é autorizado a voar se não cumprir os requisitos de voo em segurança, essa é a nossa preocupação principal", adianta o chefe dos instrutores de voo da Brussels Airlines, Jeremy Rooms.

À medida que o verão se aproxima, as companhias aéreas prevêem que a maioria das frotas regresse ao serviço até ao início da época de férias.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Portugal entra na última fase do desconfinamento

Eslovénia reabre tráfego aéreo internacional

Tráfego aéreo diminuiu 90% na Europa